Leia: Mateus 18.1-5   Ah, como eu gostaria de compor uma canção de ninar para Jesus. Colocá-lo ao colo, pequena criança indefesa, e vê-lo sonhar seus primeiros sonhos e sorrir sem saber que na verdade faz o mundo sorrir. Teria que ser também uma canção doce, que falasse com ternura a Ele, adormecido num berço […]

Continue lendo →