bethlehem--city--palestine--israel--vintage-engraving--808bb2Leia: Miquéias 5.2

 

O velho empório na esquina da Quintino Bocaiúva. A ladeira tortuosa que desce em direção à vila Barth. A praça Peixoto Gomide, onde bandeiras eram hasteadas em dias cívicos. O campo da Associação Atlética onde sonhei ser jogador de futebol. A rua Campo Salles com suas lojas. O pastel na feira de domingo. As barrancas do rio Itapetininga.

Não. Não são meras referências da geografia urbana da cidade onde nasci. Não são apenas ruas, prédios e lugares. Não é apenas pedra, cimento e asfalto. Não. Pelo contrário, é uma parte de mim, um pedaço do meu ser. A cidade onde nasci e me criei preserva, guarda, retém fragmentos da minha vida em forma de memórias concretas. Em troca, para onde vou levo esse chão no meu coração.

Somos o lugar onde nascemos. Somos seu pó, seu cheiro, suas cores, seus sentimentos.

“E tu, Belém Efrata, pequena demais […] de ti me sairá o que há de reinar em Israel”. O Messias, o Salvador Jesus Cristo nasceu em Belém. Esse fato é relembrado pelos evangelistas Mateus (2.6) e João (7.42). Este, inclusive, a chama de “aldeia”. Lugar pequeno.

Mas o que importa? Dela veio Jesus Cristo. E com ele chegou até nós Belém. “Beth-Lehem”, a “casa de pão”, onde o pão da vida encarnou. E, como pão, sentimos seu cheiro, provamos seu sabor abençoador, nos nutrimos de sua salvação. E com ele, veio até nós Belém.

Belém, cidade de Davi. Mas antes dele de Noemi, que dela precisou sair, pois havia acabado o pão. Terra de Boaz, homem bondoso que se casou com Rute. Rute, ancestral do rei Davi e de Jesus Cristo.

Belém, terra que se conhece conhecendo sua gente. Cidade humilde, pequena, vila mesmo. Mas que em sua pequenez se agiganta por trazer ao mundo pessoas de fé, homens e mulheres ligados a Deus. E, por fim, o Salvador, Jesus Cristo.

Deus tornou-se humano por intermédio de Maria. Mas o espaço físico em que isso se deu foi Belém. Dessa forma, a cidade participa do plano de salvação da humanidade.

Jesus viveu pouco em Belém. Seus pais moravam em Nazaré e se deslocaram para Belém por força de uma lei que obrigava as famílias a se recadastrarem na cidade de seus ancestrais. Logo depois, Deus orientou José e Maria a fugirem da cidade, pois Herodes pretendia matar a criança. Apesar do pouco tempo, certamente Jesus levou consigo traços de Belém.

O pão da vida carregou consigo a casa de pão.

Natal é celebração em família. É o momento em que familiares se dirigem para suas cidades de origem – à semelhança de José e Maria – para se reunirem e reavivarem memórias antigas. Ao mesmo tempo, as famílias manifestam gratidão à terra que os gerou, e o fazem da forma mais profunda possível: proclamando e celebrando nela o nascimento de Jesus Cristo, o Salvador.

Ouça. Medite. Ore. Compartilhe. As crianças do King’s College Choir, Cambridge cantando um hino de Natal em homenagem à pequena e humilde cidade de Belém. “O Little Town of Bethlehem”. Sublime! http://www.youtube.com/watch?v=AteU4QUAQo8

João Leonel

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>