Portas abertas para quem chega Entra, senta, a mesa está posta Entrelaça os braços e come o pão Abraça o irmão e toma o vinho Mas onde está o anfitrião? Cadê seu sorriso? Como achar sua compaixão? Por que o silêncio? Na ausência, ele está. Apesar de meus olhos turvos, Ele fita minh’alma. Ele está. […]

Continue lendo →

Lá vem ele, carregando pesados blocos de palavras. Rosto esticado, no limite. Veias à mostra, pele arranhada. Lá vem ele, equilibrando a leveza numa mão e a rudeza na outra. Olhar atento, fixo, única direção. Com passos lentos, sentido invariável. Lá vem ele, varrendo diligentemente a sujeira do mundo. Quanto mais limpa a casa, Menos […]

Continue lendo →

Escrever, às vezes, é caminhar descansadamente. No entanto, por outras, é carregar o peso das palavras; Ditas, empilhadas nas linhas do papel. Escrever é construir castelos frágeis, Belos, mas à mercê das ondas do mar. Palavras marcadas pela fraqueza do coração. Mas escrever é também subverter o efêmero, É cravar na materialidade da tinta o […]

Continue lendo →