“O cheio-vazio é a contradição que, imposta à nossa vista e à nossa consciência a todo momento, convida a enlouquecer. A intimidade como nunca admitida – nas praias, por exemplo – e a distância como nunca afirmada: todos os contatos e nenhum contato real; um calor intenso e ao mesmo tempo a presença do frio: o afeto suprimido.”
Luciano Zajdsznajder

Daqui a dez minutos, voltarei a sentar em uma carteira de sala de aula. Depois de dois anos parado, iniciarei o curso de mestrado em missiologia na escola do Centro Evangélicos de Missões. É uma nova fase; que seja uma abençoada fase. Estou bem animado.
“Tudo vale a pena se a alma não é pequena”. Fernando Pessoa

“Será possível que eu seja apenas uma criança? Será que não compreendo que sou um homem perdido? Mas… por que não poderei então ressuscitar? Sim! Bastará, uma vez em minha vida, ser prudente, paciente e… só isso! Bastaria, só uma vez, ter caráter e, em uma hora, posso mudar inteiramente meu destino. O essencial é o caráter.”
O Jogador, página 237 (Fiódor Dostoiévski).


E quando, em passos de lua, sigo,
Tamanha alegria a soar;
Entre lágrimas do distante estar contigo,
Sai o riso comigo a cantar.

Perfilando estas estradas de terra,
O caminheiro sucede a pensar:
– Quanto de mim ainda é preciso
Para este vasto mundo atravessar?

Muito mais, muito mais.
– É preciso entregar-se, chorar?
Quanto de minhas lágrimas o céu satisfaz?
Muito mais, meu caro, muito mais;
Mais ainda a amar.

Escrita em 26 de junho de 2003.