O chão é minha casa

O vão mistura luzes e trevas

Do horizonte, do coração, da alma

A metamorfose da vida

Está nos olhos, nas mãos, no corpo

Mas nas raízes obscuras nasce

*

Na minha terra, sou

Sou quem minha terra é

Simbiose de ser

Na minha terra onde

As palmeiras são poesia

E os pássaros cantam.

*

Hoje é dia de celebrar

Minha terra

Meu chão

A poeira nos pés

O suor na pele

As lágrimas no rosto

*

Hoje é dia de lembrar

Que somos onde caminhamos

Mas também somos

O destino para onde vamos

*

Hoje é dia de criar

Uma nova terra

Com justiça e paz

Que não abandone o caminho

Que se faça amanhecer

Mesmo diante da densa escuridão

*

Hoje é dia de ajoelhar-se

Diante do Pai e pedir

Que nunca abandone minha terra

Que nunca deixe de brilhar os raios do sol

E nunca deixe de hidratar nosso chão com a chuva

*

Hoje é dia de orar

Pela terra que sou

E que serei

Pela vontade de Deus, trabalhador,

Com suas mãos tão calejadas quanto as minhas

Com seus pés tão rachados quanto os meus

*

Porque não há terra sem céu, e nem céu sem terra

Não há pátria sem esperança

E não há esperança sem reconciliação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>