Arquivo | Espiritualidade RSS for this section

Para cantar com graça no coração

O louvor está associado à nossa fé e os cânticos devem ser a expressão de uma experiência com Deus. Deus requer de nós criatividade e também fidelidade. 

A música ensina e, por isso mesmo, as Escrituras devem ser sempre o critério aferidor de todas as nossas experiências, emoções e gosto.

O conhecimento de Deus está presente em nossos cânticos? O que fazer para que a música seja ade­quada ao ensino da Palavra de Deus?

Continue lendo

A Soberania de Deus e o sofrimento do crente

Os sofrimentos que os crentes enfrentam são reais e têm vários motivos. Mas, por que os cristãos sofrem?

Bem, esse não é um problema novo. Os salmistas sofreram e falaram sobre isso. Reclamaram da ausência de preocupação e da prosperi­dade daqueles que não servem ao Senhor.
Como lidar com isso? Podemos confiar nas promessas de Deus?

Continue lendo

Uma teologia pragmática de culto

A simples funcionalidade de alguma coisa não indica necessariamente que ela seja a melhor. No entanto, não é raro perceber entre os evangélicos, a tentação de trocar a verdade por aquilo que funciona.

O nosso desafio em todas as áreas, inclusive em nosso culto, é glorificar a Deus. Não podemos permitir que critérios estranhos à Palavra de Deus nos orientem em nossas práticas e decisões, tampouco em nossa adoração.

Continue lendo

A cilada da desobediência e o culto

A religiosidade é companheira inseparável de todas as culturas. A adoração é uma expressão da religiosidade de cada povo e a forma de culto varia de religião para religião e esta assume características próprias em cada povo.

O que a Bíblia diz sobre o culto? Prestar culto a Deus implica em obedecer à sua Palavra?

Continue lendo

O que é livre-arbítrio?

Quem nunca ouviu falar em livre-arbítrio? A palavra é conhecida, mas seu significado pode ser desconhecido pela maioria das pessoas.

A vontade do homem está condicionada e sujeita ao pecado que habita nele. Assim, sua vontade não é de maneira alguma livre. Então, ele perdeu o livre-arbítrio, isto é, ele não tem mais a capacidade de arbitrar entre o bem e o mal?

Continue lendo