Vocação — o chamado de Deus

Texto Básico:  Efésios 6.5-7

Leitura Diária
Domingo: 1Sm 2.1-11 – O Senhor empobrece e enriquece
Segunda: Jo 17.14-18 – No mundo, não do mundo
Terça: Ef 6.5-9 – Servindo de coração
Quarta: Mt 8.5-13 – Sujeito à autoridade
Quinta: 1Ts 4.9-12 – Trabalhando com as próprias mãos
Sexta: Mt 20.20-28 – O Filho do Homem veio para servir
Sábado: Gn 4.17-22 – Jabal, Jubal e Tubalcaim

Introdução

Já vimos que o trabalho é um dever. Portanto, precisamos trabalhar. Mas em quê? Como posso escolher minha profissão tendo a certeza de que a escolha foi bem feita. Existe mesmo algo a que possamos chamar de vocação? Deus realmente nos chama para realizar algum tipo de trabalho? Como isso acontece? Como posso descobrir para qual profissão o Senhor está me chamando? A doutrina cristã da vocação para o trabalho nos ajuda a enxergar sentido cristão em nossas atividades profissionais. Aliás, mais do que isso, ela nos ajuda a enxergar como nosso exercício profissional está ligado à vontade de Deus e como nosso trabalho se encaixa na providência divina para suprir as necessidades da sociedade onde vivemos. A lição de hoje tem algo a nos dizer sobre isso.

I. Vocação aqui e agora

A. Um chamado de Deus

Nosso texto básico trata de uma relação trabalhista entre servos (empregados) e senhores (empregadores) e diz que os servos devem fazer “de coração, a vontade de Deus”. No contexto do trabalho, fazer a vontade de Deus envolve primariamente reconhecer a vocação que nos é dada por Deus e que sempre vem acompanhada dos talentos necessários para que ela seja cumprida.

A palavra vocação significa chamado. Quando falamos em vocação, certamente estamos pressupondo que alguém fez essa vocação, alguém chamou. A Escritura diz que quem nos chama para o exercício profissional é Deus. Observe o texto que trata da instituição do trabalho por Deus, antes mesmo que o primeiro pecado fosse cometido. Gênesis 2.15 diz que “tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e guardar”. Adão, portanto, tinha uma tarefa a cumprir a qual foi dada a ele por Deus. Tendo criado o homem, Deus deu tarefas para que ele  cumprisse. Certamente, não são todas as pessoas chamadas por Deus para realizar a mesma tarefa. A sociedade possui necessidades variadas, que devem ser supridas pelo trabalho de todos. Por isso, cada pessoa tem um chamado específico, dado por Deus, e talentos que correspondem a esse chamado, para que a pessoa possa cumpri-lo.

B. Promover o bem para a sociedade

Uma coisa que sempre devemos ter em mente ao estudar a doutrina bíblica da vocação para o trabalho é que Deus só nos chama para realizar tarefas que promovam o bem para toda a sociedade. Isso significa que nem toda ocupação ou meio de vida é uma vocação genuína. Por exemplo, ser traficante de drogas não é uma vocação de Deus. Da mesma maneira, o que fazem ladrões, contrabandistas e comerciantes de produtos pirateados está completamente fora da esfera da vocação dada por Deus. Todas essas ocupações (e muitas outras) têm em comum o fato de que são essencialmente pecaminosas. Deus nunca nos chama para a prática do pecado. Pelo contrário, ele nos chama à santidade.

Há algumas ocupações que, do modo como são exercidas, levam pessoas a pecar. Por exemplo, os profissionais do entretenimento – atores, músicos, etc. – possuem uma vocação legítima. Divertir nossos semelhantes, proporcionando-lhes prazer por meio daquilo que Deus criou para alegrar nosso coração é um bom trabalho. No entanto, há limites. Por exemplo, ser um cantor é uma vocação digna para um homem cristão, mas certamente nenhum deles jamais foi chamado para cantar um funk “proibidão”, que faz apologia às drogas e à violência. Quem se interessa em nos fazer pecar é o diabo.

II. A escolha da profissão

A. Considere suas aptidões

Para compreendermos a vontade de Deus com relação à escolha da nossa profissão é preciso, em primeiro lugar, levarmos em consideração as aptidões que ele mesmo nos concedeu, não as  possibilidades de ganho.

Cada um de nós têm interesses, gostos, aversões e preferências que o nos direcionam a um determinado tipo de atividade e nos afastam de outro. Temos talentos específicos e em graus específicos que nos capacitam a exercer bem uma determinada profissão e outras não. Portanto, descobrir sua vocação significa, pelo menos em parte, descobrir quais são os seus talentos e qual é o seu perfil profissional.

Cada trabalhador deve se preparar para desempenhar suas funções da melhor maneira possível. Deus, em sua infinita sabedoria, dá a cada um de nós aptidões naturais que se encaixam melhor em determinadas profissões do que em outras, e usa essas aptidões para chamar, ou vocacionar, cada profissional para sua área de trabalho. Quando uma pessoa, por qualquer motivo, não faz caso da capacitação que recebeu do Senhor, todo o seu trabalho não passa de agitação vazia e sem sentido. É por isso que precisamos pedir orientação a Deus para que ele nos ajude a encontrar a profissão para a qual ele nos capacitou.

 B. Não priorize o ganho financeiro

Um erro muito comum na hora de se escolher uma profissão é a tendência de se levar em conta somente o ganho financeiro que a atividade pode proporcionar. Muitos não dão o menor valor às suas aptidões e aos que realmente gosta de fazer. Pensam exclusivamente no aspecto financeiro. Fazer uma escolha pautada apenas neste quesito será trágico.

Lembre-se de que você exercerá sua profissão por várias décadas. Se sua escolha tomar por base somente as possibilidades de ganho, deixando de lado a vocação e os talentos que Deus deu a você, chegará o momento em que seu exercício profissional será uma imensa fonte de frustração, apesar do bom ganho financeiro. Haverá infelicidade maior para um profissional do que, abrindo mão daquilo que faz com prazer e naturalidade, passar a vida se entediando diariamente, só para ganhar um pouco mais?

Outro erro a que nos sujeitamos quando baseamos nossa escolha nas possibilidades de ganho e não nas aptidões que recebemos de Deus é o de conferir mais honra àquelas profissões que apresentam maiores possibilidades de ganho e desprezar as outras. Isso é muito mal aos olhos de Deus, pois é ele que capacita tanto o profissional que obterá menores ganhos quanto o que obterá maiores ganhos.

O profissional não deve ser avaliado pelo retorno financeiro que obtém pelo seu trabalho, mas pela dedicação com a qual cumpre ou deixa de cumprir a vocação que recebeu de Deus. É por isso que encontramos profissionais modestos muito mais realizados em seu trabalho do que profissionais com maior status social que, levando em conta somente a possibilidade de retorno financeiro e abrindo mão de seus talentos e da vocação que receberam de Deus, passam a vida fazendo aquilo que não lhes dá prazer.

 C. Peça orientação a Deus

Cada trabalhador deve se preparar para desempenhar suas funções da melhor maneira possível. Nesse processo precisamos pedir orientação a Deus para que ele nos ajude a encontrar a profissão para a qual ele nos capacitou.

É importante salientar que a atitude espiritual de pedir orientação a Deus sobre qual profissão exercer não significa, de modo algum, uma participação estática da pessoa na escolha de sua profissão, como se esperasse que ela caísse do céu. Essa atitude significa simplesmente que a pessoa busca sabedoria e fé para identificar as aptidões que Deus deu a ela e disposição santa para exercer a profissão para a qual o Senhor a designou.

Em todas as coisas, a obediência aos desígnios do Senhor não consiste em uma aceitação passiva, mas em uma atitude plena de determinações espontâneas tomadas por fé. Haverá, porventura, maior incentivo para um aluno de medicina do que saber que Deus o chamou e capacitou para ser médico? Haveria atitude mais sábia para esse aluno do que se dedicar com todas as suas forças ao estudo da medicina?

D. Um alerta aos pais

Neste ponto da lição, é importante fazer um alerta aos pais. Deve-se tomar muito cuidado para não influenciar seus filhos em um sentido que os afaste de uma escolha profissional com base nos princípios bíblicos.

Calvino, falando sobre esse assunto, disse: “Atente cada um com diligência para consigo, e os pais, querendo dirigir os filhos a quaisquer empregos, não tenham esse costume a que se têm habituado de dizer: Qual profissão será a mais rendosa? Antes, estes dois aspectos se conjuguem, isto é, quando houverem considerado em que é que meu filho poderá ganhar a vida e, quando estiver casado, como proverá para si e sua família? Que sirva ao próximo e o uso de sua arte e de sua profissão redunde no proveito comum de todos”; e ainda: “Assim, pois, por essa razão, impõe-nos ter sempre diante dos olhos que, em qualquer estado que vivamos, é necessário que Deus marche adiante, como se a si nos chamasse e nós seguíssemos o caminho que por sua Palavra nos mostra. Certo é que jamais profissão alguma será dele aprovada se não for útil, e se o público não for dela servido, e se também não redundar em proveito de todos” (Calvino, sermão XXXI sobre Efésios 4.26-28).

Conclusão

A doutrina cristã da vocação para o trabalho nos ensina a fazer a pergunta correta. Ela nos mostra a importância de irmos muito além de “que profissão de escolher?”, e a perguntarmos “o que Deus está me chamando para fazer, depois de ter me dado meus talentos e me moldado como sou hoje?”. Quando compreendemos que o Senhor deve se glorificado também pelo nosso exercício profissional, percebemos a importância de desempenharmos bem a vocação que ele nos concedeu e usarmos para esse fim os talentos que ele nos deu. 

Aplicação

Como a lição de hoje pode ajudá-lo na escolha/desempenho de sua profissão? Escreva algumas linhas sobre isso para que a resposta seja mais objetiva.

>> Estudo publicado originalmente pela Editora Cultura Cristã, na série Nossa Fé, na revista Uma Visão Transformadora. Usado com permissão.

Print Friendly, PDF & Email

28 Comentários para “Vocação — o chamado de Deus”

  1. Andre Peixoto 2 de agosto de 2014 at 19:05 #

    Muito bom o texto, mostra de uma maneira completa, a ação de Deus e a maneira que sutilmente, age Deus em nossas vidas. Que Deus continue a operar.

  2. Daniel 7 de novembro de 2014 at 20:37 #

    olha ,gostei muito,veio na ora certa,justo quando eu precisava .Na verdade ser jovem e Cristão é uma coisa muito delicadaa é mesmo na hora de escolher qual carreira seguir.Obrigado

  3. barbara 27 de novembro de 2014 at 22:38 #

    É uma escolha mt difiçil de se fazer. Eu, por exemplo, estou quase concluindo o curso de direito, porém, a cada dia que passa mais o meu coraçao se aperta, pq nao é algo que eu amo, p/ falar a verdade nunca quis, me deixei levar pela cabeça dos outros, pois era muito nova, tinha 17 anos quando entrei , e nao sabia o que fazer, após terminar o ensino médio. Até hoje eu me pergunto, qual é o meu dom?? Se eu tivesse pelo menos um sonho definido completamente em minha vida, eu, com certeza, iria atrás dele, porém nao faço a menor ideia de qual é a minha vocação. 🙁

    • Raianny 4 de abril de 2016 at 1:05 #

      Meu caso é parecido com o teu Bárbara, estou cursando direito mas estou no início, no terceiro período… Como vc tbm me deixei levar por influências, pois não sabia o que fazer quando terminei o ensino médio. E a cada dia que passa eu penso no meu futuro, pois não é uma coisa que eu amo, e futuramente tenho medo de ser uma profissional frustada… Só queria tbm ter um sonho definido pra correr atrás dele, ou que Deus falasse fortemente na minha mente e em meu coração. E estou pensando em parar ou mudar de curso… Enfim me identifiquei com o teu comentário e resolvi comentar aqui. Boa sorte para nós é muita fé em Deus, e que ele nos mostre o caminho a seguir…

    • Paulo Muanda 21 de junho de 2016 at 13:37 #

      Gostei de apreciar o seu comentário, e senti a necessidade de partilhar algo com você;
      Na verdade não existe pessoa que poderá definir o seu dom, os servos de Deus servem para ajudar as pessoas a descubrir seus dons; em determinados momentos nós entramos com certo preconceito nos jogos da vida e desta forma não podemos fazer algo perfeitamente, se para alem daquilo que tu fazes não tens paixão em outra coisa então investe naquilo que estás a fazer porque o apóstolo Paulo escreveu que: se precisas de um dom peça a Deus e ele te dará, visto que não é bom insistirmos naquilo que não queremos ou então não gostamos, portanto pare ou então investe para aprenderes a gosta-la.

      Deus lhe abencoe.

      Paulo Muanda (PM) Servo do Senhor

    • Bárbara 17 de dezembro de 2016 at 23:35 #

      Nossa fico me fazendo essa pergunta todos os dias tbm, pq quando entrei no curso de direito foi por influência dos outros e ate hoje não sinto bem nele, fui super mal nas matérias, parece que no fundo não me identifiquei. 😐😢

  4. josé oliveira 2 de março de 2015 at 13:42 #

    Procurei em alguns sites resposta para essa pergunta “chamado de Deus” e encontrei outras respostas, mas esse texto esclareceu exatamente esse questionamento e pontuou a nossa (vocação) que é a vida profissional. Obrigado!

  5. Bruno 17 de junho de 2015 at 14:24 #

    Boa Tarde, realmente é uma pergunta que me faço, estou convertido há 2 anos, Jesus mudou radicalmente a minha vida, transformando-me em uma homem casado no qual jamais pensei que pudesser…eu vivia no mundão, na zuera e a área profissional é uma área que ainda me causa perturbação, pelo simples fato de não saber qual o meu perfil profissional…..fui demitido em fevereiro 2015, e há 3 meses comecei numa área nova de vendas, mas parece que estou paralisado e não consigo enxergar se é essa area ou nao…
    Mas creio que o sobrenatural de Deus virá…..

    Deus abençoe!!!

  6. Suely Dias dos Santos 21 de junho de 2015 at 16:16 #

    Durante todos o tempo da minha vida eu aprendi a gostar do que de Deus colocou no meu caminho, trabalhei numa empresa durante 22 anos,todos as funções que me foram dada eu gostei e dei o meu melhor depois que sai dessa empresa não consegui me encontrar profissionalmente espiritualmente sim eu amo trabalhar na obra de Deus.Atualmente estou trabalhando como representante (autonoma )pois quero me dedicar o maior tempo na obra de Deus.

  7. Tânia 23 de junho de 2015 at 8:14 #

    Muto legal o texto , achei interessante acrescentar o seguinte:

    Jesus nos DÁ A SEGUINTE ORDEM : IDE E FAZEI DISCÍPULOS POR TODAS AS NAÇÕES..
    ser um discípulo de Cristo(aquele que faz o que o mestre fez), implica em obedecer ao Chamado , Jesus Cumpriu o chamado dele até o final, não se importou com o preço a ser pago, simplesmente doou-se em nosso favor . Obedecendo assim a vontade do Pai.
    Trabalhar é necessário, os discípulos de Jesus, estavam trabalhando quando ouviram o chamado do Senhor. Mas não podemos comparar nosso trabalho secular com o chamado do Senhor para nossas vidas, pois se assim fizermos, seria o mesmo que dizer que Deus nos fez para sermos “operadores de máquina” sempre, nossa vida se resumiria a desempenhar essa função da melhor forma possível. Mas o que o Senhor tem designado para cada um que lhe aceita como Senhor e Salvador, vai muito mais longe e reflete na Eternidade. IDE E FAZEI DISCÍPULOS…para isso que fomos chamados, levarmos as pessoas até Cristo , fazendo isto faremos o que Jesus fez e assim, dessa forma, seremos seus discípulos…Não tem como ser discípulo de Cristo sem fazer o que Ele ensinou
    —-Muitos serão chamados, mas poucos serão escolhidos—-Muitos ouvem o chamado de Deus , mas poucos são os que obedecem ao chamado, poucos são os que dão a sua vida , seus bens por amor a Cristo…
    Um Pastor disse a seguinte frase : “O que sustenta um homem, é o chamado de Deus”.
    Se ousássemos em viver o chamado de Deus, nossa nação não estaria de Jeito que está. Nossas famílias não estariam do jeito que estão.
    Temos adaptado o evangelho as nossas vidas, e não nossas vidas ao Evangelho…e dessa forma é impossível atender ao chamado de Deus.
    Por isso existem crentes infelizes, apegados a bens materiais, egoístas. Precisamos entender que o nosso chamado é povoar o céu, e trabalhar pra que isto aconteça…se você quer realmente ser um discípulo de Cristo uma boa dica de Leitura são os 8 primeiro livros do Novo Testamento. Me ajudaram muito entender o porque fui criada, a entender que preciso gerar frutos.

    Deus quer nos levar muito mais longe…
    Graça e paz!!

    • Cristiane Cabral 15 de setembro de 2015 at 10:15 #

      Cristiane- Paz do Senhor! Graça e Paz, Tânia! Que Deus continue abençoando e usando sua vida !
      O seu texto colaborou muito para o nosso entendimento espiritual em relação ao chamado de Deus para nossas vidas. Precisamos deixar de sermos egocêntricos, e colocar o Senhor Jesus no centro de nossas vidas, e aprendermos a viver conforme a sua vontade e não mais conforme os nossos desejos pessoais.
      Parabéns, aos administradores do site! Que o Espírito Santo continue capacitando para postarem textos edificantes aos cristãos.

    • Vagnet 15 de dezembro de 2015 at 12:00 #

      Quem ganhar a sua vida máquina terra ,perdela a. No Céu ,mais quem perder a vida aqui na terra ,ganhará no Céu, todos os dias negando Anos mesmos ,mortificando nossa carne,poderemos entender oque no elevada a vontade de Deus .

  8. Edson Lourenço 2 de outubro de 2015 at 22:34 #

    Como Faço para saber qual a minha vocação ? O que Deus está me chamando para fazer ? Não sei por onde começar ? duvidas e mais duvidas.

  9. Kelayne 11 de outubro de 2015 at 3:33 #

    Tenho uma dúvida: temos vários talentos para uma vocação específica? Ou temos vários talentos divididos entre nossa vocação espiritual e terrena? Todos os talentos dados por Deus tem um objetivo específico, mas nem todos estão diretamente relacionados a nossa profissão, (visto q posso ter um talento q será usado na minha atividade de esposa, por exemplo) certo?

    • kelayne 21 de maio de 2016 at 2:08 #

      Certo. Tens vários talentos que serão utilizados em situações e com finalidades diversas.

  10. Marco 4 de dezembro de 2015 at 13:58 #

    Boa tarde a todos.
    Particularmente, exercer aquilo q nos faz bem e nos da prazer, independente se terá um retorno financeiro considerável ou não,isso é o q importa. Pois VC fará tudo com bastante amor e dedicação e aí estará uma grande oportunidade para falarmos do amor e o grande propósito do Senhor Jesus, para as pessoas q dividi o espaço com nós aonde fazemos aquilo q gostamos (trabalho).Agora imaginem fazendo aquilo q jamais gostaríamos de fazer. Não terá prazer,haverá insatisfação e etc…Como q será difícil até de falar do amor de Deus as pessoas, por isso por mais simples q seja a nossa vocação no pensamento de outras pessoas, isso não importa. Pois façamos aquilo q o nosso Deus nos deu a se fazer e assim quem ganhará será o REINO DE DEUS e consequentemente nós a nossa família e aí vai.
    Aonde quer q estejamos falemos do amor de Deus para aqueles q não conhecem, para aqueles q estão desanimados, fracos e etc…e assim teremos a nossa recompensa q é ver Reino de Deus alcançado vidas…

  11. Edson luiz de Amorim 10 de maio de 2016 at 2:35 #

    Edson luiz de Amorim….sim acredito no chamado de Deus porque ele sabe de nossa vocação e podemos sentir pois quando conseguimos ouvir esse chamado o trabalho nos dá prazer em vez de cansaço e não priorizamos o ganho tão somente

  12. MARCOS FELIPE 10 de maio de 2016 at 10:34 #

    Como surgiu a doutrina cristã da vocação para o trabalho?
    Qual a referência?

  13. nik 22 de junho de 2016 at 14:36 #

    otimo texto!!!! estou em grande conflito entre minha faculdade e a vida religiosa.
    estou no primeiro perildo da faculdade de geografia e uma area qu gosto muito e quero trabalhar na area da educação, mais sinto que meu chamado nao e esse desde muito cedo tambem tive vontade de seguir a vida sarcedotal tenho grande apreço pela igreija e em ajudar os pobres e nescessitados sinto que ha uma coisa dentro de mim que sempre me leva a seguir este caminho por mais que eu me feiche e ignoro a vontade sempre reaparece, meu maior medo agora e deixar minha faculdade para seguir este chamado pois tenho medo do que vou encontrar pela frente e depois nao poder mais voltar atras. precisso de ajuda por favor me ajudem a discenir o meu chamado… agurdo respostas.. abaixo fica meu email.. e meu contato.

    email:brunooliveirageo16@gmail.com

    num° (97) 99169 – 0608

    • Elias 24 de julho de 2016 at 12:26 #

      Nik, sendo breve, na minha opinião analisando o que vc escreveu, o fato de se sentir atraído p trabalhar na obra de Deus não anula o fato de vc tbm ter vocação para ser professor de geografia, haja vista que vc se identifica com esta área. Quem sabe Deus não tem um propósito para vc usando seus talentos de conhecimentos em geografia, ou até mesmo comi professor? Se vc está fazendo um site curso e sente no coração que gosta disto, tenha a certeza que Deus vai te honrar com seus talentos ….é isto é fique na Paz do Senhor!

  14. Lu 29 de julho de 2016 at 16:35 #

    Muito bacana o texto, concordo plenamente que Deus pode e quer nos orientar em todas as nossas escolhas e isso inclui nossa escolha profissional. Até porque nossa profissão interfere positiva ou negativamente nas nossas relações humanas.

    Ser um profissional feliz cumpre o propósito de Deus de que sejamos saudáveis psicologicamente pois pode influenciar nossa vida espiritual.

    Um outro bom motivo para considerar as orientações do senhor na escolha profissional é que Deus sabe todas as coisas, e Ele nos livra do que nem imaginamos, mas ele sabe.

  15. Gabryelle Rocha 31 de outubro de 2016 at 23:53 #

    Olá!! Alguém me ajuda? Eu entendi a mensagem mas ainda to cheia de dúvidas. Vou contar a minha história. Desde pequena sonho em fazer medicina só que não lembro quando comecei com isso geralmente passamos por uma transição, de escolha de profissão a gente fica nessa do ensino fundamental até o ensino médio ou se não já sabemos desde criança só que eu não lembro quando eu sentir isso, não me vejo em mais nenhuma profissão a não ser medicina. Acho que é Deus porque eu não entendo. Vou seguir esse caminho aceito opiniões obrigado!!

  16. pri 19 de novembro de 2016 at 9:40 #

    gostei abri para fase um estudo para mim prega sob vocação e vou entra na faculdade esse 2017.e estou orando orando sob aminha minha escolha pra cursa.

  17. Hellen 5 de janeiro de 2017 at 14:45 #

    Li comentário por comentário e me identifiquei com dois, particularmente. Eu estou quase concluindo a graduação em uma faculdade estadual reconhecida, sendo que não me sinto capacitada para exercer a profissão; desde o segundo ano eu não tenho ânimo para continuar, só não desisti antes por não saber qual é o meu sonho de profissão (se é que tenho), não adiantaria abandonar sem ter uma perspectiva de outro curso. E hoje ainda me vejo na mesma situação, o trabalho final está próximo e eu só não desisto por não saber o que fazer, mas não me sinto feliz. É muito ruim e triste acordar quase de madrugada todos os dias e passar 4h por dia na condução sem ter amor pelo que faço e sem esperança de que esse esforço me renderá uma vida realizada na área profissional. Algo que me dói é saber que não estou glorificando a Deus desta forma, isso me incomoda profundamente.

  18. Joao Oliveira 19 de março de 2017 at 12:53 #

    Na realidade Deus,capacita as pessoas para seu ministerio,as pessoas desenvolve seu conhecimento,atraves da leitura do livro sagrado fala eloquentemente,ajuda as outras pessoas a entender os ensinamentos dirigido pela palavra assim como eu.Mas o que eu nao me comformo,frequento a igreja escuto atenciosamente as mensagens,mas nao levanto da cadeira para nada.Os irmaos conversam comigo e sempre me diz que Jesus tem um chamado em minha vida,e nao vejo acontecer nada a unica coisa que tenho muito para dizer um dia sera o meu testemunho, que ocorreram em minha vida.Agora digo se realmente se Deus tivesse um chamado em vida eu ja estaria bem enpenhado no ministerio, assim como diz 2 Tm.3:16-17.

    • Ultimatoonline 20 de março de 2017 at 10:58 #

      Joao Oliveira,

      Obrigado pelo seu comentário!
      Quero lembrá-lo que o Senhor Jesus nos chamou à comunhão com Deus (que não tínhamos antes por causa do pecado) e também para pregar o evangelho e fazer discípulos.
      Esse é o chamado de todos nós. Que o Espírito Santo nos ajude a cumprí-lo. Abraço!

  19. Antonio Carlos Morais 2 de abril de 2017 at 19:30 #

    Nós fomos chamados por não para sermos rervidos, mas para servir.

  20. Gabrielle 24 de julho de 2017 at 10:08 #

    Graça e paz! Li o texto e todos os comentários, tudo muito edificante. Identifiquei-me com o comentário das colegas que dizem estarem cursando Direito sem amar a profissão e sem saber ainda qual a sua vocação. Na verdade, encontrei esse texto justamente porque estou buscando essa realização na área profissional. Tenho aprendido que Há um tempo certo para todo propósito debaixo dos Céus( Eclesiastes 3.1) E que verdadeiramente Deus faz com que Todas, absolutamente Todas as coisas cooperem para o Bem dos que amam a Deus. O nosso papel é buscar a orientação de Deus e continuar trabalhando, estudando e buscando mais e mais sabedoria e conhecimento. Aprendi que não devemos tomar decisões importantes com dúvida, e o que começamos devemos concluir. Por isso não desistam! Concluam! E peça ao Senhor constantemente a direção para que Ele guie nos propósitos que tem para a vida de cada uma de vocês. Uma oração importante que aprendi a fazer é que ” o Senhor me torne tudo aquilo que Ele me criou pra ser”. Os propósitos dEle são maiores e melhores que os nossos e não são descobertos da noite para o dia, requer busca constante. Sugiro a leitura do Livro Uma Vida com Propósitos, comecei a ler e estou amando. Sugiro também: O Poder da Mulher que ora ( Stormie Omartian); A Lei do Reconhecimento ( Mike Murdock) ; As 25 Leis Bíblicas do Sucesso (Willian Douglas), livros que fizeram a diferença na minha vida 😉 Busquemos sabedoria e conhecimento, ambos são muito importantes na nossa jornada nessa vida. Não desistam! Ao colega que disse estar cursando Geografia e a outra colega que estuda em universidade estadual, não desistam! Deus faz com que TODAS as coisas cooperem para o nosso bem, as boas e prazerosas e as aparentemente ruins ou penosas. Deus sempre está no controle de tudo. Busquemos mais de Sua Presença, de Sua sabedoria. Busquemos conselhos certos e conhecimento. E ao irmão que disse que está sempre no banco que acha que Deus não tem chamado, busque servir com aquilo que podes fazer. Por muito tempo também só congregava e me questionava quanto a essa questão até que comecei a orar sobre isso e busquei me envolver, aprendi a importância do servir, não somente com atividades na igreja, mas sobretudo com a nossa vida e também com nosso ofício e profissão
    Deus tem chamado e propósito pra nós, enquanto buscamos descobrir que possamos servir, edificar, semear e fazer a diferença nessa jornada. E que aprendamos a conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor em todo tempo. Ele é Fiel! Deus abençoe a todos, também em suas escolhas profissionais e ministeriais. Lembrem-se Há um tempo certo pra todo propósito debaixo dos Céus e Deus fax com que Todas as coisas cooperem para o bem daqueles que O amam. Graça e Paz!

Deixe um comentário