Prática da Leitura da Bíblia

SÉRIE   |   Práticas Devocionais   |   Estudo 1

Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia! [Salmo 119.97]

Texto Básico: 2 Tm 3.16-17

Textos de Apoio
Dt 6.6-9
Sl 119.105
Is 34.16a
Is 55.10, 11
Rm 15.4
Hb 4.12

Introdução

A Bíblia é a Palavra de Deus. Isto quer dizer que ela encerra a autorevelação de Deus e expressa toda a vontade de Deus em matéria de fé e conduta — pelo menos tudo o que Deus achou por bem revelar-nos. Significa que não estamos desesperadamente em estado de absoluta desinformação quanto a Deus, quanto à vida e quanto à eternidade.

Temos, em nossa própria língua, um livro que revela todo o programa de Deus, uma espécie de enciclopédia que expõe toda sorte de informação teológica necessária, um manual de avaliação que mostra a diferença entre o certo e o errado.

Nas palavras do conhecido teólogo e escritor inglês, John Stott, “Nosso cristianismo é particularmente superficial porque a imagem que fazemos de Cristo é superficial. No entanto, os segredos da maturidade cristã estão prontos para serem descobertos na Escritura por todos aqueles que os buscam. Há uma amplitude na Palavra de Deus que poucos de nós conseguem depreender, uma profundidade que raramente sondamos”. John Stott, em Para Entender a Bíblia.

Para entender o que a Bíblia Fala

1. Toda Escritura é extremamente útil. De que maneiras ela nos ajuda?

>> (Dt 8.3; 2 Tm 3.16-17; Rm 15.4; Sl 119.105)

2. Como na nutrição, quando lemos a Bíblia ocorrem dois processos:
>> Ingestão e digestão.
>> Identifique-os nas seguintes passagens:

Jr 15.16
Is 55.10-11
Ez 2.8–3.3
Hb 4.12

3. A leitura da Bíblia requer algumas técnicas.
Descubra quais são, de acordo com os textos:

Is 34.16a
Sl 1.2 e 119.148
Sl 119.112
Dt 6.6, 7
At 15.15
2 Pe 3.1-2

Hora de Avançar

“A prática da leitura da Palavra de Deus é a arte de procurar o Senhor nas páginas das Sagradas Escrituras, de enxergar toda a riqueza que está por trás da mera letra, de ouvir a voz de Deus, de relacionar texto com texto e de sugar todo o leite contido na Palavra revelada e escrita, tanto nas passagens mais claras como nas passagens aparentemente menos atraentes, por meio de uma leitura responsável e do auxílio do Espírito Santo.”

Para pensar

Na leitura da Bíblia, a ingestão depende de nós. É necessário “comer” a Palavra de Deus. Basta comer: “abrir a boca”, abrir-se para Deus. Fazemos isto por meio da leitura cuidadosa e regular da Palavra. A leitura formal, superficial, ocasional, desordenada ou supersticiosa rende muito pouco ou nada; assim como a leitura feita para satisfazer apenas o intelecto. Já a digestão não depende de nós. É a parte de Deus na boa leitura da Bíblia. A digestão é a assimilação da Sagrada Escritura em nosso interior. O processo é inconsciente, automático e irreversível. É possível por causa do valor intrínseco da Palavra e da operação do Espírito Santo em nós.

O que disseram

O cristão deve ler a Bíblia no mínimo de modo compatível ao seu nível intelectual, nunca de modo inferior. (Paul Freston)

A prática da leitura da Palavra de Deus depende da qualidade do empreendimento, que se consegue depois das providências de ler, meditar, memorizar, inculcar (impregnar todo o ser), conferir texto com texto e lembrar. Assim fazendo, este exercício espiritual será altamente proveitoso! (Elben César)

Para responder

a) Que lugar a leitura da Bíblia ocupa em sua vida?

b) O que é necessário modificar em sua rotina para que a Palavra de Deus se torne sua meditação todo o dia?

Você e Deus

Cada um de nós precisa descobrir e adotar a maneira própria mais indicada de ler a Bíblia. Considere, todavia, estas sugestões:

a) Reserve a hora mais propícia do dia para ler a Bíblia.

b) Procure ler toda a Bíblia. Não necessariamente do Gênesis ao Apocalipse.

c) Leia grupos de livros: os livros poéticos, as cartas de Paulo, os profetas menores, o Pentateuco, os quatro Evangelhos, os livros históricos e assim por diante. A preocupação maior deve ser com a qualidade da leitura e não com a quantidade.

d) Sublinhe o que você achar mais interessante. Faça notas à margem ou num papel à parte.

e) Use a Concordância Bíblica para conferir escritura com escritura.

f) Além da tradução de Almeida, que é a mais usada, consulte outras versões e paráfrases: A Bíblia Viva, a Nova Tradução na Linguagem de Hoje, A Bíblia de Jerusalém e a Nova Versão Internacional.

g) Só consulte as notas de rodapé, comentários e dicionários depois do esforço próprio de entender o texto. Evite a preguiça mental.

h) Peça sempre o auxílio do Espírito Santo para entender as Escrituras e se beneficiar delas, seja por meio de uma pequena oração, seja por meio de uma atitude de dependência e humildade.

>> Estudo bíblico a partir do capítulo 1 do livro Práticas Devocionais. Editora Ultimato.

Para saber mais, conheça também:
Para Entender a Bíblia
Por Que Confiar na Bíblia?

>> Conheça e baixe grátis o e-book Conversando sobre a Bíblia.

Print Friendly, PDF & Email

7 Comentários para “Prática da Leitura da Bíblia”

    Error thrown

    Call to undefined function ereg()