O amor perfeito

Texto básico: 1 João 4.15-21

Introdução

O texto descrito abaixo é parte de uma carta do apóstolo João escrita a um grupo de cristãos que se encontravam na Ásia Menor (atual Turquia) por volta do ano 90 depois de Cristo. A ênfase da carta é sobre o amor e o trecho escolhido norteará nosso estudo.

“Se alguém confessa publicamente que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele em Deus. Assim conhecemos o amor que Deus tem por nós e confiamos nesse amor. Deus é amor. Todo aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele. Dessa forma o amor está aperfeiçoado entre nós, para que no dia do juízo tenhamos confiança, porque neste mundo somos como ele. No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque ele nos amou primeiro. Se alguém afirmar: “Eu amo a Deus”, mas odiar seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ele nos deu este mandamento: Quem ama a Deus, ame também seu irmão.”

Glossário

Amor – 1. Sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outrem. 2. Sentimento de dedicação absoluta de um ser para outro, ou a uma causa.
Ódio – 1. Paixão que impele desejar ou causar mal a alguém, raiva, ira. 2. Aversão a pessoa, atitude, coisa, etc.
Mandamento – 1. Ato ou efeito de mandar, mandado, mando. 2. Preceito, regra. 3. A ordem contida num mandado.

De que forma permanecemos em Deus e Deus em nós? (vs.15-16)

1. Qual a sua compreensão sobre o amor? E sobre o ódio?

2. Qual a relação existente entre amor e medo? (v.18)

3. Como é possível explicar a existência do amor na humanidade? (v.19)

4. Como é feito o paralelo entre amor e ódio no versículo 20?

5. Cite situações cotidianas em que é possível observar manifestações de ódio.

De acordo com o Dicionário Michaelis, racismo é definido como: “1. Teoria ou crença que estabelece uma hierarquia entre raças (etnias); 2. Doutrina que fundamenta o direito de uma raça, vista como pura e superior, de dominar outras; 3. Preconceito exagerado contra pessoas pertencentes a uma raça (etnia) diferente, geralmente considerada inferior; 4. Atitude hostil em relação a certas categorias de indivíduos.”

6. As consequências do racismo são avassaladoras em nossa sociedade. Dia após dia vemos em noticiários, observamos ao nosso redor ou até mesmo sentimos na pele o sofrimento provocado por atitudes racistas. Como podemos compreender o racismo à luz de 1 João 4.15-21?

7. De que forma podemos expressar o amor de Deus para as outras pessoas?

8. Avalie a sua relação com as pessoas ao seu redor, desde as mais próximas até as relações mais casuais, você tem expressado amor ou ódio? Você tem manifestado o amor de Deus pelas pessoas? Em que áreas é preciso melhorar?

 

Autor do estudo: Agnaldo Lima, assessor auxiliar – ABU Salvador, BA. Parte do projeto ABUB Contra o Racismo, originalmente publicado pela Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB).

 

Leia mais:
» Racismo – A Bíblia, a igreja e uma conversa que nasce da dor
» Brasil: Um retrato em preto e branco ou em branco e preto?

Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário