Ética do comportamento cristão

Texto básico: Romanos 12.9-11

Texto devocional: Mateus 5.43-48

Versículo-chave: “E também faço esta oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo” (Fp 1.9-10).

Alvo da lição: Você conhecerá os passos para chegar à excelência da vida cristã sem “mur­murações nem contendas”.

Leia a Bíblia diariamente
SEG Fp 1.27-30; TER Fp 2.1-4; QUA Fp 2.12-18; QUI Mt 5.38-42; SEX Mt 6.19-24; SÁB Mt 6.25-34; DOM Mt 7.1-5

Iniciamos esta lição com Provérbios 26.18-20: “Como o louco que lança fogo, flechas e morte, assim é o homem que engana a seu próximo e diz: Fiz por brincadeira. Sem lenha, o fogo se apaga; e, não ha­vendo maldizente, cessa a contenda”.

Paulo começa a seção ética de sua carta aos Ro­manos com a excelência do “culto racional” e da diversidade dos dons espirituais que devem estar a serviço da igreja. Entre os dons espirituais e os degraus do comportamento cristão, exatamente no começo de Romanos 12.9, ele coloca a pedra angular da ética cristã: “o amor seja sem hipocrisia”. O amor, que é realmente o princípio governante da vida cristã, é mais do que uma emoção, e é de natu­reza mais firme do que mero sentimentalismo ou pura filantropia. Salomão poetiza esse amor sem hipocrisia, dizendo: “Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura, o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, são veementes laba­redas. As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios, afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens da sua casa pelo amor, seria de todo desprezado” (Ct 8.6-7). A partir do “amor sem hipocrisia”, vêm os degraus da ética do comportamento cristão, que vamos estudar em lições seguintes. Nesta lição trataremos de seis desses degraus.

I – DETESTAI O MAL

Detestar o mal é o mesmo que odiá-lo. Paulo usa várias vezes a palavra “fugir” para significar a re­pulsa que o cristão deve ter das coisas que são más (1Co 6.18; 10.14 e 1Tm 6.11): “Tu, po­rém, ó homem de Deus, foge destas coisas”. Carlyle, escritor cristão, comentando esse texto, diz: “O que necessitamos é ver a infinita beleza da santidade, e a infinita maldição e o horror do pecado”. O apóstolo João, em sua primeira epístola, coloca esse “detestai o mal” da seguinte maneira: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele” (1Jo2.15).

II – APEGAI-VOS AO BEM

O verbo “apegar” sugere um desejo intenso de apropriar-se de alguma coisa. O salmista assim se expressa: “Ó Deus, tu és o meu Deus forte; eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água.” (Sl 63.1).
O comportamento ético do cristão é uma busca constante e intensa do que é bom. As palavras usadas por Paulo são firmes: “detestai” e “apegai”. Elas podem ser ilustradas com dois versos de Colossenses, como veremos a seguir.

1. Detestai

“Agora, porém, despojai-vos, igual­mente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos des­pistes do velho homem” (Cl 3.8 e 9).

2. Apegai-vos

“Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longani­midade” (Cl 3.12).
Tudo isso nada mais é do que empurrar para longe de nós o mal e abraçar de corpo e alma o que é bom, o que edifica.

III – AMAI-VOS CORDIALMENTE UNS AOS OUTROS

Devemos ser afetuosos uns com os outros em amor fraternal. A palavra “cordialmente” é que qualifica esse amor. “Seja constante o amor fraternal. Não negli­gencieis a hospitalidade, pois alguns, pra­ticando-a, sem o saber acolheram anjos” (Hb 13.1-2). Esse degrau do com­portamento ético do cristão é um dos muitos mandamentos da mutualidade. O amor cordial é recíproco: “uns aos outros”. Dentro da igreja não somos estranhos; muito menos unidades isoladas. Somos irmãos, porque te­mos o mesmo Pai. A igreja não é um clube onde as pessoas se associam; nem simplesmente uma reunião de amigos. A igreja é a família de Deus. A reciprocidade no amor é a marca mais visível no Corpo de Cristo.

IV – NO ZELO, NÃO SEJAIS REMISSOS

O descuido da vida cristã acarreta sérios problemas. O cristão não pode tomar as coisas de qualquer maneira. O nosso cotidiano é sempre uma alternativa entre a vida e a morte. O tempo é curto e a vida terrena é uma preparação para a eternidade. O profeta Jeremias exorta-nos: “Mal­dito aquele que fizer a obra do Senhor relaxadamente!” (Jr 48.10). Costuma-se dizer que o cristão pode abrasar-se, porém nunca oxidar-se. Jesus, em carta à igreja de Laodicéia, exorta: “Eu repre­endo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te” (Ap 3.19).

V – SEDE FERVOROSOS DE ESPÍRITO

William Barclay, comentando esse degrau da ética do comportamento cristão, diz: “Devemos manter nosso es­pírito sempre em alta. Espírito fervoroso é espírito que transborda em amor por Deus e pelo próximo. Ilustra-se esse fervor com uma vasilha de água fervendo no fogo”. Foi exatamente nessa dimensão que Jesus advertiu a igreja de Laodicéia: “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem deras fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca” (Ap 3.15-16). O que se requer do verdadeiro cristão é que ele seja “fervoroso de espírito”. Isto é, uma pessoa entusiasmada e apaixonada pela salvação das almas e pela santificação da Igreja.

VI – SERVINDO AO SENHOR

Quem serve ao Senhor, está servindo ao seu próximo, e quem serve ao seu próximo está servindo ao Senhor. Jesus coloca esse assunto da seguinte manei­ra: “Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mt 25.40). O salmista, no hino de ingresso ao templo, declara: “Servi ao Senhor com alegria”. Esse sentimento deve ser constante no serviço cristão. O crente deve ter prazer no que faz servindo ao Reino de Deus. Por isso mesmo, aconselha o apóstolo: “Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportuni­dades” (Cl 4.5). “Quem não vive para servir, não serve para viver”.

CONCLUSÃO

Elisabeth Gomes, em seu livro “Ética nas pequenas coisas”, diz: “Deus espera de Seus filhos pecadores e redimidos pelo sangue de Jesus um padrão de excelência em tudo. Deste lado da glória não atingiremos perfeição no sentido de não pecarmos, mas somos aperfeiçoados a cada dia, à medida que nos achegamos Àquele que cumpre em nós o querer e o realizar”.
Na carta aos Romanos, Paulo diz: “Fo­mos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida” (Rm 6.4).
A vida cristã é uma experiência que se re­nova a cada dia em nosso relacionamen­to com Deus e com o nosso próximo.

>> Autor da lição: Pastor João Arantes Costa
>> Estudo publicado originalmente pela Editora Cristã Evangélica, na revista O Comportamento do Crente, da série Vida Cristã. Usado com permissão.

 

Print Friendly, PDF & Email

Tags: , , , ,

23 Comentários para “Ética do comportamento cristão”

  1. sergio sena 5 de julho de 2013 at 11:05 #

    Excelente!

    Permita-me escrever algo ao meu estilo, mas pertinente ao estudo.

    Fiquei preocupado quando vi alguns versículos do AT referenciando o estudo, mas foi bem aplicado. Não é por nada, é que eu sou pastor pentecostal respenável por uma igreja onde decretei um jejum; um jejum de leitura, pregações e ensino no VT, em protesto ao que estão fazendo com esta parte das escrituras.

    Tenho pelo menos dois motivos:

    1 – O problema é grave, pois o que acontece hoje no Braisl é que o novo convertido, o novo discípulo, recebe como primeira lição os feitos prodigiosos dos personagens do antigo testamento e é nesse ambiente que sua espiritualidade se desenvolve, quando ele chegar em Jesus, que traz essa proposta, bem ensinada nesta lição em apreço, ele não quer, não acha suficiente, imcompativel com sua perspectiva cristã.

    2- É gritante o contorcionismo hermenêutico para fazer valer em nosso dias, dentro de de nossas igrejas, as imoralidades mundanas, em nome de uma boa politicagem eclesiástica – e aqui concordo com aqueles que dizem a igreja em seu discurso tem sido fortemente influenciada pelo pensamento humano.

    “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longani­midade” (Cl 3.12).

    Muito bom. Escrevi um texto onde fiz alguns apontamentos para um igreja mais humana sem ser ant bíblica e referenciei este texto – todo o texto – para explicar sobre o ambiente do reino, quando em meu escrito defendi que se cumprirmos essa recomendação supracitada, teremos uma sinalização bem eficaz do Reino de Deus, por enquanto.

    li sobre esse tema no livro Chamados Para Servir – vários ensaios de ex alunos devotado ao ilustre pastor Russell Shedd.

    Cordialmente,
    Sergio Sena.

    • Alejandro Mercado 25 de julho de 2013 at 2:54 #

      Sergio, se entendi bem o que você diz, o problema todo está em como se ensina a Bíblia tanto aos novos cristãos quanto aos velhos na fé. Equivocadamente se separa o Novo Testamento do Antigo Testamento na suposição de estar se facilitando a compreensão da Bíblia, visto que, segundo as pessoas que fazem isso, o AT é muito difícil de entender quanto de explicar. Muito raro é encontrar Pastores que exponham sistematicamente o AT, e muito poucos que o façam com o intuito de apresentar Cristo a Igreja. Poucos sabem que o AT apresenta a Cristo ao ponto de se conhecer ao Messias prometido. Basta para isso fazer uma leitura adequada do texto sagrado e entender as profecias que apontam para Jesus Cristo. Todos aqueles que não possuem um adequado entendimento do AT correm o risco de não entenderem corretamente o NT.
      Se você me permite um conselho e uma observação ao seu escrito: não é por decreto que se estimula à oração e ao estudo da Palavra do Senhor. Com certeza o exemplo de amor pela Palavra e a oração farão mais efeito na vida do rebanho que pastoreia do que qualquer decretação que fizer. Fazer discípulos é tarefa árdua que requer concentração em pessoas e de preferência uma de cada vez. Geralmente esquecemos que a reprodução de discípulos se dá um de cada vez. Há quem se reproduza aos pares. Com certeza isso é muito raro. Quanto ao mais, a recomendação de Jesus a Nicodemos segue sendo pertinente: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” Jo 3.4. Enxergar o valor de Jesus Cristo e da sua Palavra e se deleitar nEle só é possível para os que nasceram de novo. Vale meditar nisso. Um abraço em Cristo!

      • sergio da silva sena 18 de outubro de 2013 at 19:50 #

        Leia-me

      • Fernando rodrigues de souza 24 de março de 2016 at 2:35 #

        o grande problema nas igrejas e que as pessoas não tem tratado o espirito de cristo como uma pessoa que ama,chora,anseia por um bom dia, imagina só. então o que tem acontecido e que os milagres não tem mais acontecido pois o psiquismo tem tomado o lugar da inspiração verdadeira, e a modernidade tem entrado dentro da igrejas isso eu digo as almas se e que você me entende mais creio que sim, tudo bem, e esses fariseus tem ensinado muita teoria e pouca pratica diria que 30%
        as pessoas só tem sido enganadas por falsos mestres( misericórdia ). afinal queima esse mente do mundo, e diga como paulo mesmo disse não vivo mais eu mais cristo vive em mim, isso significa que e ser parecido com ele amem.Deus abençoe e que acordemos, pois jesus voltou e todos estavam dormindo e ele disse nem uma hora vigiaste comigo.

        • jose gedeao de medeiros 4 de outubro de 2016 at 23:07 #

          gostei muinto de meditar no estudo do gual o espirito santo adimistrou no seu coração mais quero le dizer que o platicar e melhor do que falar ou escreve amem{ass.pastor gedeao

      • André Vianna 29 de novembro de 2016 at 14:17 #

        Excelente Parabéns tenho tirado muito aproveito de homens assim que se colocam nas brechas pra expressar a Palavra de Deus obrigado glorificado seja Deus em tua vida hoje é sempre!

        André nasceu de novo só JESUS acreditei aconteceu.
        João 1:29

  2. Ana Cláudia 12 de julho de 2013 at 11:42 #

    Estudo maravilhoso, muito bem escrito, bem pensado e esclarecedor. Um alimento para a alma.

  3. sergio sena 31 de agosto de 2013 at 19:24 #

    Prezado Alejandro Mercado,

    Permita-me, senhor:

    Meu decreto não tem a pretensão de forçar o rebanho à oração e ao estudo da palavra ( decreto, no que escrevi, tem expressão metafórica), mas de protestar contra as aberrações trazidas do AT para o ensinamento nas igrejas, sobretudo as confissão positivistas, em detrimento aos ensinos de Jesus Cristo.

    Para um melhor entendimento seu, o que eu quis dizer é que toda esta massa humana que compõe este crescimento meteórico tem sua espiritualidade formada a partir dos personagens do At, e o senhor sabe o que estou querendo dizer; no que isto implica, certo? ( qualquer coisa posso expliar de forma mais clareada).

    Em miúdo: O testemunho cristão desta multidão é baseado na espiritualidade do AT e vem com o pacote completo. Eu particularmente acredito que esta seja a natureza das mazelas vivenciadas pela igreja, hoje, no seu viver e agir.

    Outrossim, se eu desconhecesse O CUSTO DO DISCIPULADO, poderia ser um motivador, lider, incentivador, qualquer coisa desta natureza, menos um pastor.

    Cordialmente,

    Sergio Sena.

    • Eduardo Dias 14 de julho de 2015 at 8:37 #

      Caro Sergio Sena, ótimo testo e vale ressaltar que a evangelização não é imposta a ninguém e que quem convence o homem ao arrependimento é o espirito santo… E a respeito do Jejum: O profeta Isaías diz que o jejum que agrada a Deus é lutar contra a injustiça, lutar pela liberdade e romper com qualquer tipo de sujeição que venha a ser imposto ao ser humano.
      O profeta também fala que, ao lado desses preceitos, o jejum que agrada a Deus é repartir o pão com o faminto, acolher os pobres e os peregrinos, cobrir o que está nu. Dessa forma, nós nos tornamos solidário com a nossa própria carne.
      A perspectiva cristã do jejum é justamente esta. Na verdade, Deus aprecia e espera de nós tudo aquilo que nos leva ao amor autêntico com nossos irmãos.
      O evangelho de hoje nos ajuda, portanto, a descobrir a dimensão da caridade que o jejum deve produzir no cristão.
      Na preparação para a Páscoa o cristão deve se esforçar por se identificar cada vez mais com o amor que levou Cristo a dar a sua vida por nós.
      Em outras palavras, o evangelho nos ensina que há mais alegria em dar do que em receber.
      Por isso, ao praticarmos o jejum nós devemos pensar na caridade que deve ser a marca do cristão e agir como se fôssemos o próprio Cristo distribuindo o amor de Deus a todas as pessoas, a começar pela nossa família. É muito bonito o motivo mais você esqueceu que não existe compreensão da bíblia só no novo testamento o novo e antigo são duas partes eque uma completa a outra! vejo que como pastor essa atitude de se ressaltar como PASTOR e usando frases como: Para um melhor entendimento seu, o que eu quis dizer é que toda esta massa humana que compõe este crescimento meteórico tem sua espiritualidade formada a partir dos personagens do At, e o senhor sabe o que estou querendo dizer; no que isto implica, certo? ( qualquer coisa posso explicar de forma mais clareada). Saiba que o pastoreado é que nem rabo de cavalo e que deve crescer para baixo. atenciosamente, reveja seus modos como um servo de DEUS!

  4. Sergio sena 2 de setembro de 2013 at 9:33 #

    Bom dia , Prezado Alejandro,

    De fato, não houve entendimento no que eu disse, pois “decreto” é metafórico. O uso do termo está em protesto contra a hermenêutica situacional usada pelas igrejas pós modernas.

    Para uma melhor compreensão: Os cristãos, tanto os novos quanto os antigos são treinados com base da exposição, não teológica, do AT, assumindo assim uma espiritualidade deformada inspirada em esteriótipos que invadem , destroem, casam descasam, poligâmicos, ricos, prósperos e poderosos, desenvolvidos na caricatura de um deus tribal qualquer. Quando estes crstãos modernos, discipulados assim, se deparam com a teologia de Jesus, seus ensinamentos, tem como meio o sofrimento e o fim a morte, e que para conseguir êxito deve adicionar elementos como perdão, renúncia, humildade, entre outros… não serve, não vale e não combina com aquelas figuras. Muito embora o AT é figura do NV.

    Prezado Alejando, conheço e reconheço o caminho do discipulado, o sacrificio que o ensino exige dos verdadeiros mestre, sabendo que, mesmo sendo sacrifíco, é gratificante. Sei também que do muito que temos hoje no chamado crescimento evangélico brasileiro advém, não de um discipulado autêntico, mas de um pragmatismo utilitário seletivo ,exclusivista e predatório praticado pela igreja que troca o seu Cristo por outros senhores apresentados, que tomam seu nome.

    Com essa minha declaração estou concordo com o que o senhor aponta como discipulado.

    Cordialmente

  5. Sergio sena 2 de setembro de 2013 at 12:37 #

    Somente pra sinalizar minha resposta no portal.

    Grato,
    Sergio Sena.

  6. Alberjo Fernando Simões Pinheiro 7 de março de 2014 at 12:23 #

    Estudando sobre Ética Cristã, lendo livros e artigos na internet a respeito do assunto, encontrei essa lição, justamente a que ensinarei na EBD da SIB-Macaé no próximo domingo (9\3), a qual consta no Guia do Professor O Comportamento do Crente, lição 3 – Ética do Comportamento Cristão.
    Parabenizo o Pr. João Arantes Costa pelo excelente trabalho desenvolvido.
    Reconheço a crise e o nivelamento baixo da ética cristã demonstrada atualmente por muitos cristãos. Portanto, esse estudo é muito oportuno nesse tempo em que vivemos. Que Deus no seu infinito amor e graça, leve-nos a viver na profundidade da Sua Palavra. Afinal, o mundo espera ver Cristo em nós. Graça, paz e bençãos em Cristo Jesus..

  7. josivan 30 de junho de 2014 at 19:24 #

    muito bom

  8. António Panela Ngumbe 15 de outubro de 2014 at 6:45 #

    Excelência, gostaria que falasse mais sobre comportamento cristão…

  9. Nayara 24 de fevereiro de 2015 at 7:48 #

    Muito bacana este estudo, pois eu estava procurando versículos biblicos que falavam sobre o comportamento cristão, mas não em relação ao modo de se vestir e sim, na forma de tratar o próximo.
    Achei o que eu precisava. Deus abençoe!

  10. jair antonio silva 11 de maio de 2015 at 12:39 #

    muito bom e edificante para nos que somos cristao

  11. Ducival 12 de maio de 2015 at 16:02 #

    Ducival 12/05/2015 #

    muito bom o estudo ! gostei porque também dou estudos bíblicos,
    que o Senhor te abençoe.

  12. Miscileide 20 de maio de 2015 at 7:37 #

    Graças a Deus que encontrei esse estudo. Deus te Use sempre Pastor para a Glória d´Ele.

  13. Napoleão B. Santos 29 de outubro de 2015 at 17:11 #

    Estou centrado em muitas coisas vividas pela igreja, no contexto do mundo moderno, a questão ética parece ser o ponto sinuoso e escorregadio como: relacionamento fraternal, a falta de transparência e fidelidade com as questões financeiras e doutrinárias. É a falta de ética que tem causado muitos transtornos no relacionamento interno e instrumentos de projeção, cabide de emprego e ostentação ministerial.
    Quanto ao mais, Irmãos, regozijai-vos, se perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco. II Cor. 13:11.

  14. Zacarias 6 de novembro de 2015 at 9:01 #

    “…Não é bom que o servo de Deus viva contendendo…” e sim procurar “…apresentar-se diante de Deus como um obreiro aprovado, que não tem de que se envergonhar”

  15. Ivani Medina 11 de novembro de 2015 at 9:19 #

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    O homem não foi feito para mentir. Daí a invenção do polígrafo. No entanto, quando iniciei a minha pesquisa histórica acerca da origem do cristianismo senti-me profundamente incomodado com a historiografia oficial. Percebi prontamente que essa historiografia está seriamente contaminada pela fé. O acatamento da Bíblia não é científico. Claro que o propósito da nossa cultura era lastrear a fé cristã e fortalecê-la constantemente. Para isso, serviu-se da história como um mero instrumento utilitário de convencimento. Se a Igreja dissesse que preto era branco, todos tinham que acreditar piamente. Especialmente os professores, que eram sustentados por ela. Não havia escola que não fosse cristã.

    Não é difícil imaginar o resultado disso séculos a fio. Desse modo, o absurdo passou a se tornar natural, pois a proteção à fé estava acima de tudo. É ai que surge uma questão moral da maior relevância pela sua contradição: a obrigação da academia seria zelar pelo ensino honesto de história [a honestidade é um dos valores basilares do cristianismo] ou dar guarida às necessidades da religião, por mais justificável que isso possa parecer?

  16. PSCHONROCK 26 de fevereiro de 2016 at 10:40 #

    Atenção Edilson Furtado! O seu sonho é o seguinte: A noiva é a Nova Jerusalém que do alto vem (que estava assentada no alto da escada), a escada é o caminho dentro da grande sala que é o grande local do povo de Deus, Jesus Cristo é o Leão da Tribo de Judá que está à base da escada e da noiva (Apocalípse 5:5). De acordo com o meu coração e o meu entendimento, essa é a sua interpretação, amém.

    A pior situação de um ser humano não é ele ser pobre e humilde, trabalhador sincero e honesto, sofredor na necessidade de leite e pão, sofredor na necessidade de roupas e agasalhos, sofredor na necessidade de dinheiro para comprar a casa própria; e sofredor na necessidade de dinheiro para cobrir despesas, taxas e impostos governamentais. Isso tudo é óbvio que aconteça. Mas não somente digo como afirmo que a pior situação mesmo é: Ser tudo isso que citei acima, mais ainda debaixo da injustiça dos homens; porque eu os vejo e exergo, escuto e os ouço, “cheiro o mal” deles e os percebo. Porque fazem leis pesadas com fardos pesados, que nem mesmo eles com os seus dedos as consigam tocar, quem dirá carregá-las. Fazem-se doutores na lei dos homens, não as cumprindo e devorando os que as cumprem; ignorando as leis de Deus, pisando naqueles que seguem, não somente as leis como também os caminhos desses; procurando ser moralistas, sem um só pingo de moral, sem darem glórias a Deus em tudo. Porque vivem devassos nas próprias leis, usufruindo do salário do pobre assalariado o parasitando, certamente que Deus abriu a porta do inferno a todos esses. Enquanto o trabalhador pobre e humilde trabalha oito horas ao dia em todos os dias, vezes também trabalhando nos sábados, vezes também trabalhando nos domingos, vezes também procurando “fazer bicos” a noite para dar vida melhor aos seus filhos; os injustos trabalham somente em meio expediente, nem aparecem para trabalhar e já saem na sexta feira em direção às praias, ganham salários altíssimos de campanhas eleitorais e cumprimento de eleição, salários de nomeações injustas de “cabide de emprego”, “salário de confiança”; enfim: as vezes somente “batem pontos”; e não sabem que estão sendo filmados e carimbados por Deus e já condenados ao inferno. Tais injustos vivem debaixo de privilégios, mordomias, folgas, e férias, além do que é necessário; além do que é a lei, mesmo a lei sendo lei de homens.Quando um trabalhador que é mais humilde, ou um simples coitado assalariado solicita um favor, tipo assim: – Eu preciso de quatro dias para ir ver meus pais; (ou) eu preciso de quatro dias para ir a um congresso de oração a Deus; pois estou precisando que Ele me socorra nas minhas aflições, por causa das injustiças que estou sofrendo, também para que eu não caia em tentação e fique depressivo (a) e desfaleça. Conclusão: o favor é descontado das férias, e se não paga nas férias leva falta sem piedade. Injustos vivem nos deleites desse mundo pecador, são amantes de si mesmos; com carros, casas, casas na praia, tudo com avareza e luxo; esquecendo o amor de Deus e nem se importando em lhe dar glória, pois sabem que são desonestos perante Ele, sabem que pelas suas consciências não tem parte com Deus, e vão para o inferno se não se arrependerem dos seus pecados. Falo a verdade do que “vê meu nariz”. Está escrito: – Ai daquele que tocar num só fio de cabelo de um ungido do Senhor, porque foi profetizado que sou o Atalaia (profeta), portanto sou obrigado a avisá-los, tanto ao ímpio e pecador como também ao justo que tropeça e cai (Ezequiel 3: 17-21). Assim diz o Senhor: Não admitirás falso boato, e não porás a tua mão com o ímpio, para seres testemunha falsa; não seguirás a multidão para fazeres o mal; nem numa demanda falarás, tomando parte com a maioria para torcer o direito (Êxodo 23: 1-2). Não perverterás o direito do teu pobre na sua demanda; de palavras de falsidade te afastarás, e não matarás o inocente e o justo; porque não justificarei o ímpio. Também suborno não tomarás; porque o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos (Êxodo23:6-8). Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção (Salmos 16:10). Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir. As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias. Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos. Deliciosamente vivestes sobre a terra, e vos deleitastes; cevastes os vossos corações, como num dia de matança. Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu. Assim diz o Senhor: Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça, e os seus aposentos sem direito, que se serve do serviço do seu próximo sem remunerá-lo, e não lhe dá o salário do seu trabalho (Jeremias 22:13). Mas os teus olhos e o teu coração não atentam senão para a tua avareza, e para derramar sangue inocente, e para praticar a opressão, e a violência (Jeremias 22:17). Ai daqueles que nas suas camas intentam a iniqüidade, e maquinam o mal; à luz da alva o praticam, porque está no poder da sua mão! E cobiçam campos, e cobiçam casas, e arrebatam-nas; assim fazem violência a um homem e à sua casa, a uma pessoa e à sua herança (Miquéias 2:1-2). Eu os vejo e os percebo tudo perante os meus olhos. Portanto, assim diz o SENHOR: Eis que projeto um mal contra esta família, do qual não tirareis os vossos pescoços, e não andareis tão altivos, porque o tempo será mau. Naquele dia se levantará sobre vós um provérbio, e se lamentará pranto lastimoso, dizendo: Nós estamos inteiramente desolados; a porção do meu povo ele a troca; como me despoja! Tira os nossos campos e os reparte (Miquéias 2:3-4)! Jesus Cristo disse aos seus discípulos: É impossível que não venham escândalos, mas ai daquele por quem vierem (Lucas 17:1)! Jesus Cristo continua aconselhando, dizendo e afirmando: Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem (Mateus 23:3); Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los (Mateus 23:4); Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando (Mateus 23:13); por isso sofrereis mais rigoroso juízo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós (Mateus 23:15);Condutores cegos! que coais um mosquito e engolis um camelo (Mateus 23:24); Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniqüidade(Mateus 23:25). Fariseu cego! limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o exterior fique limpo(Mateus 23:26). Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia(Mateus 23:27). Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade (Mateus 23:28). Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno (Mateus 23:33)? Portanto, eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas; a uns deles matareis e crucificareis; e a outros deles açoitareis nas vossas sinagogas e os perseguireis de cidade em cidade (Mateus 23:34). Fiquei sabendo que um empresário que conseguiu casa de luxo na capital, casa de luxo no litoral, carros de luxo; enfim se deleitava no dinheiro. Um dia esse resolveu freqüentar uma grande igreja em São Paulo, conhecida internacionalmente (não vou citar o nome dela), “dando o dízimo do que possuía”, e também ofertas, conclusão: perdeu tudo e ficou na miséria. Então inconformado foi falar pessoalmente com o pastor e disse: Eis que freqüento essa igreja, mas ao invés de progredir mais, eu perdi e perdi tudo, o que está acontecendo? O pastor respondeu que iria orar e entrar em contato com Deus para obter uma resposta verdadeira a respeito do “suposto fiel servo” de Deus. Quando então o indivíduo foi novamente ter com o pastor, o mesmo o chamou para uma conversa em particular e disse: O teu dinheiro e tudo o que possuías era fruto de corrupção! – Quero que me confirmes sim ou não? Porque Deus tudo vê e tudo sabe. O ex empresário confirmou que era mesmo fruto de corrupção e roubo; visto que não podia mais esconder; o pastor por vez então o aconselhou a se arrepender, porque Deus não é brincadeira e não se deixa escarnecer, e muito menos com dinheiro indevido que é fruto de roubo e corrupção. Para conseguires novamente ser empresário, terá que devolver quadruplicado tudo o que de teu próximo tiraste. Eu senti em meu coração a pergunta e resposta de Jesus Cristo para aquele que sofre muito debaixo de falsos, injustos e corruptos. – És tu falso? – Não?! Então não entres na questão e conselho dos falsos, evites o caminho dos falsos, e tomes cuidado para não te assentar na roda deles! És tu injusto? – Não?! – Então não entres na questão e conselho dos injustos, evites o caminho dos injustos, e tomes cuidado para não te assentar na roda deles! – És tu corrupto? Não?! – Então não entres na questão e conselho dos corruptos, evites o caminho dos corruptos, e tomes cuidado para não te assentar na roda deles! – Porque todos esses se espalharão e não subsistirão, e não herdarão a vida eterna! Porque também o caminho desses perecerá! O LIVRO CONTINUA…….

  17. Pr. Ruy Nelson 20 de fevereiro de 2018 at 18:23 #

    Graça e paz.
    muito me alegro em ter oportunidade como está, vou hoje usar essa mensagem em nosso culto de doutrina.
    obrigado Deus vos abençoe.

Deixe um comentário