A parceria na criação de filhos

A parceria na criação de filhos

Texto básico: Juízes 13.1-25

Texto devocional: Salmo 127.1-5

Versículo-chave
Então, Manoá orou ao Senhor e disse: Ah! Senhor meu, rogo-te que o homem de Deus que enviaste venha outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer

Alvo da lição
O aluno entenderá que a criação de filhos é responsabilidade da parceria de pai e mãe, sob a orientação imprescindível do Senhor.

Leia a Bíblia diariamente
Seg Jz 13.1-7
Ter Jz 13.8-14
Qua Jz 13.15-25
Qui Jz 14.1-3
Sex 2 Co 6.14-7.1
Sáb Ef 6.1-4
Dom Sl 128.1-6

Sansão nasceu numa época muito difícil na história do povo de Deus. Israel se afastara do Senhor, indo após os ídolos e deuses falsos dos países ao seu redor. Várias ve­zes encontramos a frase “fizeram os filhos de Israel o que era mau perante o Senhor” ( Jz 2.11; 3.12; 6.1; 10.6). No livro de Juízes notamos um ci­clo que se repete: rebelião contra o Senhor, período de servidão ou sub­jugação por outras nações, seguidos de arrependimento pelos pecados e levantamento por Deus de um libertador, chamado juiz. O último versículo do livro de Juízes é muito triste e resume bem o estado da nação “cada um fazia o que achava mais reto” ( Jz 21.25).

Aplicação

Este versículo também podia ser usado  para descrever os dias em que nós vivemos no início do século 21 com seu relativismo! Cada um faz o que acha certo e melhor para si!

I. Os pais de Sansão

Não sabemos muito a respeito dos pais de Sansão, apenas que Manoá era da tribo de Dã, que sua esposa era estéril e que os dois viviam sob o jugo dos filisteus. Mais uma vez o povo de Israel tinha se afastado do Deus verdadeiro, por isso Deus “os entregou nas mãos dos filisteus por quarenta anos” ( Jz 13.1). A vida deve ter sido difícil para Manoá e sua esposa, e mais ainda com a falta da bênção de filhos.

1. Uma visita inesperada

Certo dia, quando a esposa de Manoá estava sozinha, ela recebeu uma visita inesperada e bem diferente! Era o Anjo do Senhor com a maravilhosa notícia que ela seria mãe. Que sur­presa! Isso nos faz lembrar de outras mulheres na Bíblia como Hagar, Sara, Isabel (mãe de João Batista) e Maria (mãe de Jesus), que foram visitadas pelo Anjo do Senhor para anunciar o nascimento de um filho.

O Anjo do Senhor avisou à mulher que seu filho seria diferente. Ele seria consagrado a Deus antes de nascer. Seria um nazireu, uma pessoa separada para Deus, mas um nazireu por toda a vida, diferentemente das demais pessoas que faziam esse voto por um período determinado. Em Nú­meros 6, encontramos os regulamen­tos quanto ao voto de nazireu. A Bíblia de Estudo NVI afirma que durante o período do voto de um nazireu, três áreas de sua vida eram controladas: dieta; aparência; associações. Veja Números 6.1-8.

Aquele filho seria usado por Deus para começar a livrar o povo de Israel do domínio dos filisteus. O Anjo do Senhor também avisou à mãe que ela, desde aquele momento, não deveria beber vinho ou bebida forte, nem comer coisas imundas.

2. A reação à visita

Que mensagem essa mulher recebeu! E ela creu, não duvidou! Foi correndo contar tudo ao marido! Ela disse que nem sabia o nome do men­sageiro, nem tinha perguntado donde viera. Se Manoá fosse um homem comum, teria achado que a mulher estava sonhando ou ficado louca. Teria questionado por que ela não perguntou o nome do mensageiro, por que ela foi a escolhida, como um filho deles podia livrar o povo dos filisteus, etc. Os homens geralmente são mais lógicos, enquanto as mulheres, muitas vezes, são mais sensíveis e guiadas pelo instinto feminino.

Aplicação
No casamento é muito bom quando se sabe usar juntos o raciocínio masculino, que, geralmente, tende mais à lógica, e a intuição feminina!

Parece que Manoá creu mesmo que sua mulher tinha recebido a vi­sita de alguém muito especial com a mensagem que ganharia um filho, e reconheceu que foi o próprio Senhor que o havia mandado.

II. A oração de Manoá

Imediatamente, Manoá orou ao Senhor, dizendo: “Ah! Senhor meu, rogo-te que o homem de Deus que en­viaste venha outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer” ( Jz 13.8). É interessante notar que ele pediu a Deus que ensinasse a ele e sua esposa, os dois, e não somente a esposa!

Aplicação
Há esposos crentes que não oram com a esposa, não oram pelos filhos e acham que a tarefa de criar os filhos é da mulher. Há homens que se omitem! Tantas vezes é a mãe que ora sozinha, buscando a sabedoria do Senhor

É bom notar que, em Efésios 6.4, a palavra “pais”, no grego, é para os homens e não para homem e mulher. O pai tem a responsabilidade de criar os filhos “na disciplina e na admoestação do Senhor”. Os pais crentes devem seguir o exemplo de Manoá e orar para que o Senhor os instrua como criar seus filhos.

Deus atendeu à oração de Ma­noá, e o Anjo do Senhor voltou quan­do a mulher estava sozinha no campo. Imediatamente ela correu para buscar o marido. Manoá fez uma declaração de fé ao dizer “Quando se cumprirem as tuas palavras” e não “se” se cum­prirem! Mais uma vez perguntou ao anjo: “Como devemos criar o meni­no?” Os pais crentes constantemente devem fazer esta oração ao Senhor, e o Criador da criança vai orientá-los. Manoá também perguntou o que o menino faria ao crescer. Sempre há grande expectativa ao nascer uma criança: Qual profissão vai seguir? Vai ser como o pai ou como a mãe? Vai puxar o lado do avô paterno ou materno?

Ao ver o Anjo do Senhor subir ao céu, Manoá e sua esposa se prostraram com o rosto em terra e ficaram com medo. Manoá creu que morreriam, mas sua esposa de maneira bem sá­bia explicou que Deus não teria lhes revelado tudo e aceito a oferta deles se pretendia matá-los!

Quando o menino nasceu, de­ram-lhe o nome de Sansão, que quer dizer em hebraico sol ou brilho. Como a chegada do menino trans­formou aquele lar, e com que alegria Manoá e sua esposa observaram o crescimento físico e intelectual de Sansão! Mas, acima de tudo, como Sansão foi abençoado pelo Senhor ( Jz 13.24)!

Aplicação
Tantas vezes, hoje em dia, os pais crentes se preocupam apenas com o desenvol­vimento físico e intelectual dos filhos e negligenciam o desenvolvimento espi­ritual. Em Lucas 2.52 temos o perfeito padrão de desenvolvimento para a criança, exemplificado na vida do Senhor Jesus Cristo: “E crescia Jesus em sabedoria (intelectual), estatura (física) e graça, diante de Deus (espiritual) e dos homens (social)”.

III. Parceria na criação dos filhos

“Os filhos são um presente do Senhor; eles são uma verdadeira bênção.” (Sl 127.3 NTLH)
Deus, na Sua Palavra, dá orienta­ções bem práticas para os pais sobre a criação dos filhos. Éfesios 6.4 registra as responsabilidades dos pais. Vejamos a primeira parte do versículo:

1. O aspecto negativo

“Pais, não provoqueis vossos filhos à ira” ou “Pais, não tratem os seus filhos de um jeito que faça com que eles fiquem irritados” (NTLH). Geralmente, pen­samos que os filhos irritam os pais! Como é que os pais irritam os filhos?
• Regras demais – sempre dizendo “não”.
• Regras que mudam.
• Falta de regras ou limites.
• Críticas ou comparações.
• Preferência declarada por um dos filhos.
• Falta de tempo para os filhos.

2. O aspecto positivo

“Criai-os na disciplina e na admo­estação do Senhor”. Podemos resumir isso em três mandamentos básicos para os pais.
a. Amem – Todo ser humano precisa sentir que é amado e o amor dos pais é muito importante para um desenvolvimento sadio – mais do que bens materiais! Muitos pais tentam substituir a falta de tem­po com os filhos com presentes caros! Não há substituição para tempo de qualidade passado com os filhos.
b. Disciplinem – A palavra de Deus nos diz que “o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe”(Hb 12.6). Pais que amam seus filhos vão seguir o exemplo do Senhor, pois “O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo o disciplina” (Pv 13.24).
c. Ensinem – Cabe aos pais a tarefa de ensinar os filhos a honrar seus pais (Êx 20.12; Dt 27.16) e a serem obedientes (Ef 6.1). As crianças não nascem sa­bendo obedecer, mas têm que aprender! Um dos sinais dos “últimos dias” é justamente a falta de obediência – “os homens serão … desobedientes aos pais” (2Tm 3.2).

Pais têm que ensinar os filhos a:
• amar a Deus (Mc 12.30);
• amar o próximo (Mc 12.31);
• buscar fazer a vontade de Deus (Sl 143.10);
• buscar a verdadeira sabedoria (Pv 1.7; 8.13);
• ter valores verdadeiros (Mt 6.19-21).

Aplicação
Os pais ensinam por preceito e pelo exemplo e precisam ser crentes trans­parentes. É necessário que pai e mãe concordem quanto à maneira de criar os filhos. Tem de haver uma verdadeira parceria entre o casal.

3. Preocupação com o futuro do filho (Jz 14.1-3)

Pais crentes devem se preocu­par com o futuro dos filhos – seus estudos, sua profissão, suas amizades e desde cedo, devem ensinar-lhes os princípios bíblicos sobre o namoro (2Co 6.14-18).Casamento deve ser sempre “no Senhor” (1Co 7.39).

Vemos a grande preocupação de Manoá e sua esposa com o namoro e casamento proposto por Sansão – “Será que não há uma moça crente com quem você pode casar?”. Tantas vezes hoje os pais crentes ouvem a mesma resposta de Sansão – “Só ela é bonitinha!”. E quantos casamentos problemáticos!

Conclusão

Os pais crentes precisam cons­tantemente orar como Manoá “nos ensine o que devemos fazer”. A ver­dadeira parceria na criação dos filhos consiste de três pessoas: pai, mãe… e o Senhor!

Autor do Estudo: Professora Ann G. Barnett
>> Estudo publicado originalmente pela Editora Cristã Evangélica, na revista Conflitos da Vida, da série Vida Cristã. Usado com permissão.

Print Friendly, PDF & Email

5 Comentários para “A parceria na criação de filhos”

  1. Rozele Vieira 25 de novembro de 2014 at 19:52 #

    Maravilhoso e esclarecedor esse estudo da parceria na educação dos filhos, e o exemplo de Manoá orando e pedindo a Deus sabedoria para instruir seu filho e a preocupação com o crescimento do filho em todas as áreas de sua vida. Família de joelhos diante do Senhor fica de pé diante de qualquer circunstância da vida.

    • natal 21 de janeiro de 2015 at 12:09 #

      Concordo plenamente!

    • Francisco Ramiro da Silva 28 de setembro de 2015 at 23:23 #

      Parabenizo, pelo lindo e rico comentário esclarecedor, de como criar os nossos filhos.

  2. natal 21 de janeiro de 2015 at 12:09 #

    Estudo inspirado pelo Espírito Santo de Deus, em nome do Senhor Jesus, para ajudar aos pais que desejem criar os filhos no caminho de santidade. Glória a Deus, por Cristo!

  3. paivam de oliveira 9 de dezembro de 2019 at 18:43 #

    Muito proveitoso este estudo, é necessário que nossas igrejas tenham em suas escolas, estudos sobre relacionamento conjugal, e principalmente sobre criação de filhos. Muitos estão se perdendo por falta de instrução da parte dos pais, e, por sua vez, os pais não sabem buscar orientações de Deus para criarem seus filhos.

Deixe um comentário