A importância do discipulado

A importância do discipulado

Neste estudo pensaremos sobre como podemos discernir nossa parte da missão de Deus. Ao fazermos isto, enfatizaremos a importância de ser discípulo.

Leia Marcos 1:16–20.

  • Quais são os primeiros passos dos discípulos a fim de entrarem para a história de Jesus?
  • O que acontece a seguir?
  • Onde na Bíblia você viu esse tipo de processo antes?

Leia João 14:5–14.

  • O que Jesus acha que os discípulos deveriam ter aprendido sobre a identidade dele durante o tempo que passaram com ele?

Em Atos 17:28 a Bíblia nos diz que a vida dos cristãos é radicada em Jesus Cristo: “Pois nele vivemos, nos movemos e existimos.”(Atos 17:28).

  • O que significa estar “em Cristo”?
  • Por que você acha que isto é importante para nós quando nos preparamos para participar na missão?

Para discussão

Pense em alguém com quem você passa bastante tempo. Que tipo de coisas você aprende com essa pessoa, e o que ela o(a) inspira a fazer?

  • Que diz sobre seu relacionamento com Jesus? Aprender com ele dessa forma é uma característica desse relacionamento?
  • Como o seu relacionamento com Deus o(a) ajuda a lidar com as situações que você enfrenta e a se conectar com as pessoas que você encontra?
  • Como você acha que poderia aprofundar o seu relacionamento com Deus?
  • Pense sobre isso: o que significa ser um discípulo de Jesus e fazer as coisas que Jesus fez, como ele diz em João 14?
  • O que isto nos diz sobre a missão?

Para reflexão

Em Efésios 4:1–2 Paulo escreve: “Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam. Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor”.

  • Sua vida reflete uma relação com Deus da forma que Paulo descreve?
  • Como seu relacionamento com Deus o(a) está preparando para a missão?
Quais são os primeiros passos dos discípulos a fim de entrarem para a história de Jesus?

Lembre ao grupo que os discípulos têm que primeiro ouvir o que Jesus quer deles (como discutido no estudo anterior) e depois têm que fazer a escolha de segui-lo e despender tempo com ele durante seu ministério. Encoraje o grupo a compartilhar experiências de dar este passo.

O que acontece a seguir?

Peça ao grupo que pense sobre o que Jesus e os discípulos fizeram nos Evangelhos. Lembre aos participantes que os discípulos passaram três anos ao lado de Jesus durante seu ministério, antes de sua morte e ressurreição, e antes de receberem o Espírito Santo no dia de Pentecostes. Encoraje-os a recorrerem ao seu próprio conhecimento dos Evangelhos para descrever o “programa de formação de discípulos” e como Jesus os preparou para tornarem-se parte da sua história.

Encoraje o grupo a pensar sobre outros relacionamentos que Deus estabelece na Bíblia – ao pedir a indivíduos que lhe respondessem, dando-lhes, em seguida, tempo para conhecê-lo e saber seu plano para eles. Sugira que pensem em Abraão, Moisés e alguns dos profetas.

O que Jesus achava que os discípulos deveriam ter aprendido sobre ele?

Encoraje o grupo a discutir a forma pela qual Jesus lembra a Felipe que os discípulos não só aprenderam sobre sua identidade como Filho de Deus e Messias, mas o que essa identidade significou para a forma como viveu a sua vida e os atos que realizou. Leve o grupo a pensar sobre o caráter, comportamento e valores, bem como atividades específicas de Jesus.

O que significa estar “em Cristo”?

Quando respondemos à oferta de salvação de Jesus, tornamo-nos parte do corpo de Cristo. Na igreja, celebramos isto no batismo. Cada vez que tomamos a comunhão, nos unimos como corpo unido de Cristo, mantido junto por Jesus Cristo e seu sacrifício por nós.

Todo o que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Da mesma forma como o Pai que vive me enviou e eu vivo por causa do Pai, assim aquele que se alimenta de mim viverá por minha causa.” (João 6:56–57)

Na adoração, liturgia, oração e reflexão, amando a Deus, vivendo em Cristo e seguindo-o através do poder e com a orientação do Espírito, nós nos tornamos mais semelhantes a Jesus. Ficamos mais capazes de discernir como podemos melhor viver de maneira consistente com a história que encontramos na Bíblia, no lugar em que estivermos. É assim que aprendemos a praticar a justiça, amar a fidelidade e andar humildemente com Deus.

Pense em alguém com quem você passa bastante tempo. Que tipo de coisas você aprende com essa pessoa?

Pergunte ao grupo sobre modelos a seguir – seu caráter, seus valores, seu comportamento, o que eles poderiam fazer ou dizer em qualquer situação, como eles fazem seu trabalho. Encoraje o grupo a falar honestamente sobre o que eles se sentem inspirados a imitar em termos de caráter e ação.

Ao relatar a história do chamado dos discípulos, os Evangelhos nos dizem que o nosso novo relacionamento com Jesus não consiste apenas em passar tempo com ele e tê-lo como parte de nossa vida. Jesus tem coisas para fazermos depois que entramos em sua história– e ele nos ensina a sermos mais parecidos com ele para que as possamos realizar. Peça ao grupo que pense sobre o que significa “fazer as coisas que Jesus fez”.

Para reflexão

Encoraje os participantes a falar sobre como seu relacionamento com Deus mudou sua vida, incluindo seu caráter, valores, comportamento e atividades. Sugira que pensem sobre como conhecer e confiar em Deus torna possível lidar com todas as coisas que eles enfrentam. Peça-lhes para pensar e conversar sobre a importância de despender tempo com Deus e o impacto que isso deverá ter em sua vida.

Para oração

Agradeça a Deus por haver enviado Jesus Cristo e o Espírito Santo, tornando-lhe possível ter um relacionamento com ele. Faça um compromisso de continuar a despender tempo com ele em oração, adoração e estudo bíblico e peça-lhe para revelar a você o chamado dele para a sua vida.

Notas para o líder de grupo

Ao final deste estudo o grupo deverá entender que o ponto de partida para nossa participação na missão é nossa adoração e relacionamento com Deus. Isso afeta integralmente a nossa vida. Os participantes devem perceber que precisamos responder ao chamado de Jesus, despender tempo com ele e segui-lo em nossa vida no mundo. Nossa oração, nosso tempo com Deus e a abundância do Espírito em nós moldam-nos, ajudando-nos a nos tornar mais semelhantes a Cristo. Isto, naturalmente, nos leva à ação – já que o amor de Deus nos inspira com seu amor pelos outros.

>> Estudo publicado originalmente no site da Tearfund. Usado com permissão.

Leia mais
>> O Discipulado na Igreja Local
Print Friendly, PDF & Email

Tags: , , , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário