Justiça e defesa de direitos: usando a sua voz para fazer campanhas por justiça

Série “Viva com Justiça” | Estudo 5

“Se você for neutro em situações de injustiça, você terá escolhido ficar do lado do opressor.”

– Desmond Tutu

“É impossível ignorarmos as implicações políticas da justiça bíblica.”

– Joel Edwards

Texto base: Ester 3:1-11, 4:13-14 e 8:3-8

 

Perguntas para discussão

  1. Por que Ester teve receio em falar com o rei?
  2. Qual foi a importância de Mardoqueu ter influenciado Ester a defender os direitos do seu povo, e quais são as implicações para o que entendemos sobre a defesa de direitos de natureza política nos dias de hoje?
  3. A defesa de direitos exercida por Ester e pelo movimento Jubileu 2000 foi inspirada pelos pedidos feitos pelas pessoas oprimidas para que a defesa de direitos desafiasse a injustiça. Você conhece exemplos disso nos movimentos de defesa de direitos da atualidade?
  4. Se aqueles que enfrentam injustiças não influenciarem o nosso trabalho de defesa de direitos, quais serão os riscos?
  5. O que Deus está lhe dizendo, e como você vai responder?

Trabalho em grupo

Façam uma encenação de papéis1, em que defendam os direitos da sua comunidade diante do proprietário e dos funcionários de uma fábrica de produtos químicos em relação ao impacto desta na região. Escolha duas ou três pessoas para atuarem nos papéis de proprietário e funcionários da fábrica, e os demais poderão ser os moradores da comunidade.

Os fatos:

  • A fábrica fica a 1 km da comunidade, rio acima.
  • A fábrica está funcionando há quatro anos, e, nos últimos três meses, a comunidade tem enfrentado problemas.
  • Grandes áreas de terra foram cercadas, causando o bloqueio da principal rota utilizada para levar o gado para pastar mais adiante no vale.
  • Quando as roupas são lavadas no rio, elas ficam manchadas, e há uma maior incidência de doenças devido a poluição da água causada pela fábrica.

O contexto:

  • Vocês já discutiram as questões com a comunidade e decidiram que a melhor coisa a ser feita é falar com o proprietário, com o qual vocês não tiveram nenhum contato desde que ele anunciou a comunidade a abertura da fábrica de produtos químicos há cinco anos.

A ser considerado:

  • O que vocês estão tentando alcançar através desta reunião?
  • Qual é a mensagem principal de vocês?
  • Qual abordagem vocês vão usar na reunião? Que tom de linguagem vocês vão adotar diante do proprietário?

Trabalho Individual

Você já pensou em uma maneira de promover a justiça, de pronunciar-se e ser um(a) defensor(a) da justiça diante dos seus líderes? Comprometa-se com algo específico, talvez se responsabilizando em organizar um treinamento sobre defesa de direitos para a sua igreja ou em escrever uma carta por mês para o governo do seu país sobre uma questão de justiça. Inclua este compromisso no seu plano de ação. 

Oração

Senhor, dá-me coragem para assumir riscos, assim como Ester, e para desafiar a injustiça, mesmo que isso tenha um grande custo para mim. Ajuda-me a fazer um bom uso das minhas opiniões e contribuições e a defender a justiça diante dos governantes eleitos. Orienta o nosso governo e os líderes que tomam decisões importantes que afetam pessoas em todo o mundo. Dá-lhes sabedoria, abertura e sensibilidade ao clamor dos que vivem na pobreza.


PARA SABER MAIS

 

Definições

O G8 (ou Grupo dos 8): Um fórum para os governos de oito das principais economias do mundo, que periodicamente se reúnem para discutir questões de interesse global. Os Estados membros são: Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos.

Defesa de Direitos: Influenciar as decisões, as políticas e as práticas de decisores poderosos a fim de lidar com as causas fundamentais da pobreza, trazer justiça e apoiar o bom desenvolvimento. O trabalho de defesa de direitos nunca gera apenas mais conscientização sobre uma questão, um problema ou uma situação. Ela sempre procura mudar as políticas, práticas, sistemas, estruturas, decisões e atitudes causadoras da questão, do problema ou da situação para que passem a atuar a favor das pessoas que vivem na pobreza e sofrem injustiças. 


Fazer campanhas funciona

Por Ashley Walker

Elinata Kasanga mora na Aldeia Nguluka, na Zâmbia. Elinata lembra-se de uma época da história do seu vilarejo em que os moradores não conseguiam atender as suas necessidades básicas. Eles não conseguiam pagar as taxas cobradas pelas clínicas de saúde ou as matrículas escolares. A maioria dos moradores do vilarejo sobrevivia com uma refeição por dia e bebia água de córregos contaminados na vizinhança. A incapacidade de atender as necessidades básicas foi agravada pelo fato de que o Governo da Zâmbia devia bilhões de dólares aos governos de países mais ricos. O dinheiro que estava sendo gasto com o pagamento da dívida era dinheiro que podia estar sendo usado para ajudar as pessoas pobres. Além disso, os pagamentos não conseguiam acompanhar o mesmo ritmo dos aumentos de juros.

Pessoas de todo o mundo começaram a agir, sendo que os cristãos assumiram uma posição de liderança, acreditando que era injustificável fazer cumprir os pagamentos das dívidas em detrimento do atendimento das necessidades básicas da vida. Por esse motivo, a campanha Jubileu 2000 foi iniciada, defendendo o cancelamento das dívidas que as nações empobrecidas não podiam pagar aos países mais ricos do Norte Global e ao Banco Mundial, como uma forma de celebrar o Milênio no ano 2000. O Ano do Jubileu (Levítico 25) foi constituído com base no pressuposto de que, sem controle, a ordem social, política e econômica destruiria as comunidades por causa da ganância e de práticas injustas. O Jubileu era uma oportunidade para começar novamente do zero, e a campanha Jubileu 2000 foi uma oportunidade para aplicar este princípio bíblico em tempos modernos.

Mais de vinte e quatro milhões de pessoas assinaram a petição da campanha Jubileu 2000. Assinaturas, impressões digitais e petições feitas por e-mail foram coletadas de mais de 155 países. A petição foi entregue a Cúpula do Milênio das Nações Unidas em setembro de 2000. Organizações e campanhas nacionais em mais de sessenta países fizeram lobby, campanhas e manifestações e implementaram iniciativas de conscientização. As atividades incluíram desde campanhas de redação de cartas dirigidas a parlamentares por parte dos cidadãos, até encontros nacionais com altas celebridades, unidas pelo símbolo de correntes humanas.

A campanha Jubileu 2000 conseguiu fazer com que muitas dívidas fossem canceladas para os países elegíveis, mas não parou por aí. Pessoas de todo o mundo continuaram a fazer campanhas e, desde 1996, outras dívidas contraídas por países pobres foram canceladas, correspondendo a mais de US$ 130 bilhões.

Por causa disso, os centros de saúde administrados pelo governo na comunidade de Elinata agora estão completamente abastecidos com medicamentos e as escolas são gratuitas até o sétimo ano de escolaridade. Pela primeira vez, Elinata e a comunidade dela tem acesso a água potável.

Além da Aldeia Nguluka, depois que as dívidas foram canceladas2:

  • 1,5 milhão de crianças retornaram à escola em Uganda, depois que o governo parou de cobrar matrículas escolares.
  • 500.000 crianças em Moçambique foram vacinadas.
  • Serviços de saúde foram prestados gratuitamente a milhões de pessoas que vivem na zona rural da Zâmbia, muitas das quais nunca haviam tido acesso a qualquer tipo de serviço moderno de saúde até então.
  • 2.500 novas escolas primárias foram abertas e 28.000 novos professores foram treinados, possibilitando que 98 por cento das crianças da Tanzânia se matriculassem no ensino primário.

Desmond Tutu disse numa ocasião: “Chegamos a um ponto em que precisamos parar de apenas tirar as pessoas do rio. Precisamos ir rio acima e descobrir o motivo pelo qual elas estão caindo no rio”. A campanha Jubileu fez exatamente isso e continua transformando vidas até hoje. Muitas pessoas foram transformadas por terem participado da campanha, tendo visto que uma grande injustiça pode ser considerada algo normal na maneira como o mundo funciona e tendo encontrado a sua própria voz para ajudar a superá-la.


Notas
1. Adaptado do Kit de Ferramentas de Advocacy da Tearfund (ROOTS 1 e 2), 2015.
2. Estatísticas: www.jubileeusa.org, www.one.org e www.oxfam.org


>> Acesse mais recursos aqui e aqui.

>> Confira o estudo 4 – Justiça e oração: mudando o mundo através da oração.

>>> Estudo bíblico retirado da Sessão Cinco do livro Viva com Justiça, de Tearfund e Desafio Miqueias. Reproduzido com permissão.

Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário