“Se Jesus não tivesse entregue a si mesmo, ninguém o teria entregue” (Santo Agostinho) Para abordar a riqueza toda de Jesus Cristo não há outro jeito senão inventar palavras, como imatável, que soa melhor do que inassassinável. Que Jesus rompeu os grilhões da morte “porque era impossível que a morte o retivesse” (At 2.24), todo […]

Continue lendo →

Enquanto caminhamos inexoravelmente para a morte via envelhecimento ou acidente ou doença, de ambas as margens do caminho se nos apresentam promessas de uma vida sem solução de continuidade. De um lado, somos convidados a colocar a nossa esperança nos recursos e nas possibilidades da ciência, ainda que vagarosa. Do outro, recebemos o desafio da […]

Continue lendo →