Eu os reduzi a pó, pó que o vento leva. (Sl 18.42.) Não é a poeira das estradas, não é a poeira das eiras, não é a poeira dos desertos, não é a poeira dos lixões, não é a poeira das fábricas, não é a poeira das usinas atômicas, não é a poeira dos vulcões, não […]

Read More →

Todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína. (Mt 7.26, 27) Três filhas […]

Read More →

Não há muita diferença entre Paulo e Agostinho: o primeiro diz “o salário do pecado é a morte” (Rm 6.23), e o outro diz “o castigo do pecado é o pecado”. Morte e pecado sempre foram irmãos gêmeos. A dura sentença é de um africano convertido na Europa aos 33 anos, chamado Aurélio Agostinho, mais […]

Read More →