A adoração da criação

quarta-feira
quarta-feira

Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas. (Apocalipse 4.11)

Retornamos hoje aos dois círculos, interno e externo, que cercam o trono de Deus. O círculo externo é formado por vinte e quatro anciãos. O número doze no livro do apocalipse sempre representa a igreja, portanto, o número vinte e quatro identifica as igrejas do antigo e do novo Testamento — os doze patriarcas ou líderes das tribos e os doze apóstolos de Jesus Cristo, respectivamente. Suas vestes brancas e coroas de ouro são sinais de justiça e de autoridade.

O círculo interno, em volta do trono de Deus, é formado por quatro “seres viventes cobertos de olhos, tanto na frente como atrás” (expressando uma vigília incessante). A aparência deles era de leão, boi, homem e de uma águia em voo (v. 6-7), representando, de acordo com um comentário, “tudo o que há de mais nobre, forte, sábio e veloz na natureza animal”.

Toda a natureza canta incessantes louvores ao Senhor Deus Todo-poderoso, que era, que é e que há de vir, e todas as vezes os vinte e quatro anciãos juntam-se a ela.  Assim, a natureza e a igreja, a velha e a nova criação se unem para proclamar que Deus é o único digno de adoração, pois por sua vontade todas as coisas foram criadas e continuam a existir.

É interessante comparar a adoração entre os capítulos 4 e 5 de apocalipse. Ambos falam da adoração conjunta dos anciãos e dos seres viventes, porém o capítulo 4 enfatiza a criação (“por tua vontade elas [todas as coisas] existem e foram criadas” [v. 11]), enquanto que a ênfase no capítulo 5 está na redenção (“pois… compraste para Deus gente” [v. 9]). Nosso Criador e redentor é duplamente digno de receber a nossa adoração.

Terminamos assim a descrição dos coros celestiais, mas não podemos esquecer seus hinos. Somos chamados a antecipar na terra a vida do céu centrada em Deus. Devemos viver agora num relacionamento consciente com o trono de Deus, até que todo pensamento, palavra e obra sejam submetidos ao seu domínio.

Para saber mais: Apocalipse 4.6-11

>> Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Print Friendly, PDF & Email

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário