Cristo é o centro

sábado
sábado

Da mesma forma como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também é necessário que o Filho do homem seja levantado. (João 3.14) 

Quando Moisés levantou a serpente em um cajado, muitos israelitas desaprovaram o mandamento de Deus de para ela, porque não lhes era agradável. Somente os israelitas que criam – e ninguém mais – entendiam e, então, eram curados por causa de sua fé na Palavra. Quem mais, além do Senhor, poderia ter usado essa história para apontar para Cristo? Eu nunca teria sido tão ousado ao ponto de interpretar essa história da forma como Cristo a interpretou. Ele a explica apontando para si mesmo, e diz: “Aquela era a serpente de bronze. Mas eu sou o Filho do Homem. Os israelitas tiveram que olhar para a serpente com os seus olhos naturais. Mas vocês devem olhar para mim com os olhos da fé. Eles foram curados de um veneno físico. Mas, por meu intermédio, vocês serão redimidos de um veneno eterno. Olhar para a serpente significa crer em mim. No passado, os corpos foram curados. Mas eu darei a vida eterna àqueles que crerem em mim”. Essas são afirmações estranhas, que juntas são um ensino extraordinário.

Com essas palavras, o Senhor nos ensina o modo apropriado de interpretar o Antigo Testamento. Ele nos ajuda a entender que os escritores e profetas do Antigo Testamento apontaram para ele, o Cristo, com suas histórias e ilustrações. Cristo nos mostra que ele é o ponto central a partir do qual todo o círculo é desenhado. Todos olham para ele. Quem segue a Cristo pertence a esse círculo. Todas as histórias das Escrituras santas, se interpretadas corretamente, apontam para Cristo.

>> Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Print Friendly

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário