Fingindo estar arrependido

quinta-feira
quinta-feira

Então, de noite, Deus veio em sonho a Labão, o arameu, e o adve rtiu: “Cuidado! Não diga nada a Jacó, não lhe faça promessas nem ameaças”. (Gênesis 31.24) 

Labão foi advertido em sonho para não ameaçar Jacó asperamente. Porém ele continuou a perseguir Jacó assim mesmo. Ele recebeu a ordem de não prejudicar Jacó, mas estava tão irado que ainda ameaçou machucá-lo. Labão não queria ser chamado de fracassado. Ele não queria que as pessoas pensassem que seus planos tinham dado errado e que ele tinha de retornar sem fazer o que pretendia. Ele sentia que seria desonrado se não cumprisse todas as furiosas ameaças que havia feito diante de todos.

Labão é um bom exemplo de um hipócrita fingindo arrepender-se. Com frequência os não cristãos fingem estar verdadeiramente arrependidos e dizem que vão mudar sua maneira de pensar e de agir, mas, no seu interior, sabem que é mentira. Quando Davi admitiu que havia pecado (2Sm 12.13), foi completamente diferente de quando Saul admitiu que havia pecado (1Sm 15.24). Eles usaram as mesmas palavras, provavelmente até o mesmo tom de voz, e mostraram o mesmo sentimento de remorso, mas a motivação era totalmente diferente.

Quando os não cristãos dizem que estão arrependidos dos seus pecados, sua tristeza é, na verdade, a expressão de desapontamento por não poderem mais fazer o que queriam. Na realidade eles não querem mudar o comportamento. Quando ladrões exprimem tristeza, eles querem comunicar que estão tristes por não poder mais roubar. Labão é retratado desta mesma forma. Aqueles que estão verdadeiramente arrependidos não têm medo de coisa alguma exceto da ira e reprovação de Deus. Eles não ficam preocupados se serão humilhados e desonrados diante das pessoas, pois sabem que Deus está do lado deles.

>> Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Print Friendly

Um comentário para “Fingindo estar arrependido”

  1. Magda julho, 13 at 8:47 #

    Amei essa reflexão.

Deixe um comentário