A força da Palavra de Deus

quarta-feira
quarta-feira

Simão Pedro lhe respondeu: “Senhor, para quem iremos? Tu tens a s palavras de vida eterna. Nós cremos e sabemos que és o Santo de Deus”. (João 6.68-69)

Sim, Pedro, você está dizendo a verdade! Isso é escrito como conforto e exemplo para nós. Apesar de que um dos doze apóstolos cairia, o que em si já é uma importante lição para todos nós, Deus aprovou Pedro. Tudo repousa na graça, no poder e na Palavra de Deus a ponto de não podermos confiar nem mesmo nos apóstolos. Apesar de um deles ter reivindicado que era tão forte que nunca cairia, ele não poderia vencer, a menos que Deus o abençoasse e dissesse: “Eu o escolhi”. A razão pela qual os apóstolos podiam triunfar era porque Cristo disse: “Eu o escolhi”. Apesar de que Judas cairia e permaneceria caído, Pedro, por sua vez, foi agarrado com tanta firmeza pela Palavra de Deus que não permaneceria no chão. Quando ele tropeçou e caiu, levantou-se novamente.

Você deve compreender que Deus permite que as pessoas tropecem para que, assim, elas se desesperem por confiar em si mesmas. Deus é aquele que erradica a arrogância inerente à própria natureza. Moisés, Arão, Davi e outros caíram, porém encontraram o caminho novamente. As Escrituras dizem que, apesar de as pessoas caírem, a Palavra de Deus permanecerá firme e nunca cairá. Todo aquele que cair poderá erguer-se novamente pela força da Palavra de Deus.

Judas, aquele que traiu o Senhor, foi o primeiro a desertar. Ele foi aquele que trouxe danos ao reino de Deus, mesmo sendo classificado acima dos outros apóstolos como administrador das finanças. Se eu ou alguém mais importante caísse – que Deus me proteja disso acontecer –, certamente seria um escândalo. Porém, devemos permanecer firmes e descansar no fundamento da Palavra. Jesus disse: “Não fui eu que os escolhi, os Doze? Todavia, um de vocês é um diabo!” (Jo 6.70). Esse exemplo mostra que não podemos confiar nas pessoas, mas devemos aprender a confiar na Palavra de Deus.

>> Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Print Friendly

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário