Tremenda bobagem

segunda-feira
segunda-feira

Se você não leva muito a sério a distinção entre o bem e o mal, será fácil dizer que tudo que encontrar nesse mundo vem da parte de Deus. Porém, é claro que, se você considerar certas coisas realmente erradas, e acreditar que Deus é, de fato, bom, então não poderá falar assim. Você tem de acreditar que Deus vive separado do mundo e que certas coisas que vemos por aí são contrárias à sua vontade. Ao confrontar-se com um câncer ou uma favela, o panteísta poderia dizer: “Se você ao menos conseguisse enxergar tudo do ponto de vista divino, certamente entenderia que isso também é de Deus”. E o cristão responderia: “Não diga bobagem!”, pois o cristianismo é uma religião de luta. Ele defende que Deus criou o mundo, o espaço e o tempo, o calor e o frio, as cores e os sabores, os animais e os vegetais; tudo são coisas que Deus “tirou da cabeça”, exatamente como faz alguém que inventa histórias. Porém, o cristianismo também entende que grande parte das coisas desse mundo que Deus fez foram corrompidas, e que ele insiste, de forma bastante enfática, que restauremos as coisas novamente.

>> Retirado de Um Ano com C. S. Lewis, Editora Ultimato.

Print Friendly

Um comentário para “Tremenda bobagem”

  1. Jasiel Villa Nova Rego janeiro, 2 at 11:23 #

    Gosto sempre de responder acerca dessa distinção entre o bem e o mal, com aquela resposta dada por Jesus à pergunta feita por seus discípulos sobre o cego de nascença: – “Mestre, quem pecou, este ou seus pais,para que nascesse cego?” – dizendo-lhes: “Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus” (João 9.1-3). A questão não é discutirmos sobre o bem e o mal, ou sobre a contingência ou o sofrimento humano; sim, reconhecer, como discípulos, que nosso dever é o de levar a sério o “façamos as obras daquele que me enviou enquanto é dia” (João 9.4).

Deixe um comentário