Car@s internautas,

é com prazer que divulgo os três de quatro episódios do documentário especial do Dr. Armand Nicholi “Deus em Questão”, baseados no livro, que foram legendados em português e disponibilizados na net:

Parte 1: http://www.youtube.com/watch?v=wCPsgk9NqeE
Parte 2: http://www.youtube.com/watch?v=nXmm2soFMLA
Parte 3: http://www.youtube.com/watch?v=51Qw_3YwRTQ&feature=related

  1. Paz do Senhor Gabriele!

    O meu professor de apologia (Alex belmont) me falou da senhora, depois que perguntei se teria como saber mais sobre o C.S. Lewis como defensor da fé cristã.

    Li dois livros dele (O grande abismo, o outro não me lembro), mas nada encontrei a respeito desse assunto em que envolvesse o que estou procurando acerca dos escritos dele.

    Ja estou assinstindo os videos, mas preciso de mais informações, pois não consigo entender por que tantos o admirão.

    Meu professor disse que a senhora é uma das maiores apologistas que temos no Brasil, ao lado de pessoas como Rinaldi e João Flavio e outros.

    Espero a resposta ansiosamente!

    Jean Patrik

  2. Oi Jean,

    Infelizmente não consigo melhorar isso, pois não fui eu quem fez as legendas. Mas estou me esforçando para facilitar a pesquisa do público que não domina o inglês, mas quem quiser levar realmente a sério, temo que não terá como evitar o inglês.

    Aguarde novidades em vídeos no site.

    Grande abraço

  3. Entendo professora.

    Confesso que estou pensando seriamente em fazer o curso de inglês, mas isso deve acontecer só depois da minha pós-graduação.

    Acredito que Deus esteja despertando uma geração de pensadores, pesquisadores … para a defesa do cristianismo contra materialismo, racionalismo etc.

    Obrigado pela atenção!!!

    Jean Patrik

  4. Oi Jean,

    É, o inglês hoje é fundamental, não apenas para a leitura, mas para a vida profissional na maioria das profissões do mundo de hoje.

    Quanto à sua profecia, espero que tenha razão. De nossa parte, vamos fazer o que Deus tem preparado para essa realidade acontecer (com a ajuda do Espírito, em primeiro lugar, mas tb com a de Lewis, pois ele tb é tido como o combatente dos “ismos” em geral).

    Grande abraço

  5. Gabriela Lopes Villela

    Amém Gabriele.
    Ainda não assisti a todos os vídeos, apenas o primeiro e parte do segundo. Mas achei extremamente interessante e encorajador. Como uma cristã, eu afirmo que não consigo explicar a existência de Deus de forma cognitiva, mas ao mesmo tempo não a nada que possa fazer com que eu não acredite que Ele existe e faça com que eu negue as experiência que em tive com Deus na minha vida!
    Exemplos como de algumas pessoas mencionadas no vídeo, que creem em Deus e defendem esta crença de uma forma tão simples, tão sabia e tão educada… faz com que cristãos como eu não consigam deixar de expressar algum tipo de comentário.
    Estou ansiosa para terminar de assistir aos vídeos e também em saber um pouco mais sobre C.S.Lewis , meu irmão em Cristo!

  6. Oi Gabriela,

    Acho que temos algo em comum, além do nome, rsrs.

    Que bom que os vídeos te encorajaram. Sabe, a fé não se pode provar racionalmente. Poucos duvidariam disso. Mas o que se pode sim defender com grandes probabilidades de acerto é a falta de sentido de uma vida desprovida de Deus e porque seria tão sem nexo pensar um mundo, sem um Criador Todo-Poderoso.

    Na minha acepção, é possível até dar um passo mais além ainda, afirmando que um Deus Todo-poderoso e bom tem que ser Pessoal, do contrário ele seria cruel, deixando “pegadas” por todos os lados de sua presença real, e, portanto, não poderia ser Deus.

    Enfim, eu gosto muito de refletir com as pessoas, cristãs ou não, sobre esse assunto, com todo o amor e respeito e acho que tenho isso em comum com meu amigo e inspirador, C.S. Lewis, se é que me é permitida tal comparação.

    Grande abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>