Como muitos livros estavam esgotados até bem pouco tempo atrás, muitas versões mais antigas dos livros já foram digitalizadas e chegaram a circular na internet, o que é o terror das editoras, já que acaba se tornando uma concorrência forte e um tanto desleal.

A desvantagem de baixar essas versões “pirata” é que muitas dessas traduções estão mal feitas, contém erros de digitação e escaneamento e são mais difíceis de ler para quem não tem hábito de ler livros inteiros na telinha. Algumas traduções, como as da trilogia espacial, também foram traduzidas para o português de Portugal, contendo alguns traços de estilo e palavras que não correspondem ao uso no Brasil.

Então, recomendo sempre a aquisição das traduções e revisões atuais. Nada como ter uma boa biblioteca física em casa ou na igreja, que pode vir a ser bênção para muitas pessoas.

  1. Primeiro, parabéns pelo site e pelo excelente trabalho em divulgar C.S. Lewis!
    Sobre livros digitais, gostaria de deixar aqui meu desabafo.

    O mundo evoluiu. Estamos na era digital. Sou leitor frenético e depois que comprei meu Kindle, não quero mais saber de papel, pelo conforto, praticidade e flexibilidade que somente o Kindle (e não tablets, laptops e afins!) pode proporcionar. Só quem tem ele sabe do que estou falando.

    Infelizmente, o Brasil não evoluiu. Nos EUA, Europa, Ásia e outros lugares é possível comprar praticamente qualquer livro em formato digital no idioma inglês e em outros idiomas também.

    As editoras brasileiras estão na idade da pedra e não se esforçam para colocar seu acervo disponível para venda neste formato. Por isso surgem desbravadores que não se contentam com a letargia das editoras e digitalizam os livros, buscando proporcionar aos leitores assíduos mais conforto e praticidade. De fato, muitas digitalizações ficam muito ruins, mas é o que temos!

    A Amazon acabou de chegar no Brasil, mas com um acervo pífio de livros em português. Ouvi dizer que muitas editoras estão relutantes em se associar com a Amazon.

    O meu apelo é para que as editoras – e quem trabalha com elas – abram os olhos para o mercado que estão perdendo e vão perder ainda mais, porque o livro digital veio para ficar e “o terror das editoras” (pirataria) é filho direto da falta de visão das mesmas!

    Abraços e deculpe o tamanho do comentário!

    • Oi Rafael,

      Que bom saber que estás investigando essa área muito importante. Recomendo ainda o livro de um amigo meu, o Marcio Vasconcellos, em “O Canto de Aslam”. Deve ser fácil de conseguir.

      Sucesso!

      Grande abraço

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *