Chegou o lançamento de abril. “Esponja” ou “Peneira”?

O direito de ligar e desligar na sociedade da informação.
É disso que trata Ontem Esponja, Amanhã Peneira.

Com a palavra, os autores.

C. S. Lewis sem intermediários. Estilo, erudição, suspense, beleza, fascinação

Leia Surpreendido Pela Alegria. C. S. Lewis por ele mesmo.

Se estilo e erudição, forem exigências para adentrar os ‘portões dos céus’, C. S. Lewis estará entre os anjos.”
– The New Yorker

“Faz anos que leio C. S. Lewis em busca de consolo e prazer, e toda olhadela nos livros faz renascer a minha velha admiração.”
– John Updike

“C. S. Lewis escreve com toda a força de transformação típica de um Platão, um Dante e um Bunyan. Ele combina lógica com amor pela beleza, pelo maravilhoso e pelo mágico.”
– Christianity Today

“Um suspense espiritual – a busca por uma pista e um motivo que levaram C. S. Lewis de volta ao cristianismo.”
– Sunday Times

“A tensão dos capítulos finais prende o leitor como o final de um filme de suspense.”
– Times Literary Supplement

“Desde a meticulosa análise de Santo Agostinho, poucos escritores assumiram o trabalhoso encargo de distinguir a natureza e o grau de fascinação e satisfação percebidos pelo homem.”
– Commonweal Magazine

Em abril, “o direito de ligar e desligar na sociedade da informação”

ontem_esponja_amanahna_peneira_webPasteurização é uma palavra bem adequada aos nossos dias. Especialmente quando o assunto é informação.

Quase tudo vem adaptado, embalado e mastigado, ao gosto dos diferentes paladares. E até a memória se tornou inútil. É aí que entra o nosso lançamento de abril: Ontem Esponja, Amanhã Peneira – o direito de ligar e desligar na sociedade da informação.

Marcos Botelho e Victor Fontana sabem contar estórias. Estórias engraçadas que ajudam o leitor a lidar com a informação sem se tornar escravo ou engolido por ela. E, por falar em engolido, você conhece aquela do jacaré?

Para explicar as causas da erosão e o estrago que a água pode fazer no solo, um velho professor dizia que era preciso saber a diferença entre “absorção” e “adsorção”. Para isso, ele apelou à imaginação dos alunos: “Faça uma viagem até o Rio Amazonas. Quando você avistar um jacaré, pule em cima dele e tente atravessar o rio até à outra margem. Se você chegar do outro lado, você atravessou o rio adsorvido ao jacaré, se você não chegar, você foi absorvido pelo jacaré”…

Para enfrentar o excesso de informação é preciso aprender a navegar. Ontem Esponja, Amanhã Peneira é uma espécie de guia de sobrevivência para lidar com o jacaré nosso de cada dia.