Os cristãos devem ter medo da ciência? A ciência pode ser fundamentalista e dogmática? 

A teologia natural pode responder perguntas que a ciência não consegue? Ela poderia funcionar como uma ponte entre o mundo da ciência e o da religião? É sobre estas e outras questões o lançamento de setembro da editora Ultimato, O Ajuste Fino do Universo – Em Busca de Deus na Ciência e na Teologia.

Confira abaixo o que diz o autor, Alister McGrath, sobre a relação entre ciência e fé cristã.

 

Conteúdo extra oferecido como Mais na Internet na seção Vamos Ler, da revista Ultimato edição #367.

A vida de David Brainerd

Jonathan Edwards
328 páginas
Fiel, 2016

Uma das biografias mais impactantes da história das missões. Inúmeros missionários e agências missionárias nasceram a partir do exemplo vívido de Brainerd. Missionário entre indígenas, morreu aos 29 anos. Sua curta e intensa vida foi mais proveitosa para o reino do que milhares que beiraram os 100 anos de idade. Um convite a renovar a paixão.

Por Heliel Gomes de Carvalho

História da Igreja em Quadros

Robert C. Walton
120 páginas
Vida, 2000

Conheça melhor a história da igreja cristã por meio de tabelas e diagramas cronológicos e explicativos. A obra é um valioso complemento aos compêndios de história e fornece um resumo dos principais dados da história eclesiástica de forma didática. Nela os fatos estão organizados e acessíveis, o que possibilita acesso rápido às informações básicas. Ideal para estudantes e professores.

Por Rute Salviano Almeida

The Apostolic Fathers with Justin Martyr and Irenaeus

Schaff, Philip (1819-1893)
Ante-Nicene Fathers, v. 1
Eternal Sun Books, 2017
520 páginas

A história da igreja cristã a partir dos escritos dos pais da igreja primitiva. Traduzidos na íntegra, os textos escritos antes do Concílio de Niceia (325 d.C.) estão reunidos nesta coleção de dez volumes. Cada volume apresenta um período da história dos quatro primeiros séculos depois de Cristo. Os pais da Igreja ante-nicenos compuseram textos que são fontes de pesquisa para os estudos da história, da teologia, da literatura, das biografias e do pensamento cristão. O conjunto da obra de Schaff é uma ferramenta de consulta. Fundamental para a compreensão dos caminhos trilhados pela comunidade cristã durante o processo de estabelecimento de um cânone doutrinário e teológico, o primeiro volume da coleção incluiu os escritos de Clemente, Matias, Policarpo, Inácio, Barnabé, Papias, Irineu e Justino Mártir – os pais apostólicos da Igreja, que viveram na geração que sucedeu a dos apóstolos de Jesus Cristo. Estes homens enunciaram em seus escritos as questões centrais da vida da Igreja: as práticas cotidianas no contexto de hostilidade política, as dificuldades de se estabelecer um cânone doutrinário mediante de mudanças conjunturais, fidelização de grupos submetidos a processos de deslocamentos demográficos e inseguranças. O que foi escrito pelos pais apostólicos e pelos pais ante-nicenos constitui-se na memória do passado da Igreja e contribui para a reflexão do tempo presente.

Por Catarina Maria Costa dos Santos

A Grande Onda Vai te Pegar

Marketing, espetáculo e ciberespaço na Bola de Neve Church
Eduardo Meinberg A. Maranhão Filho
236 páginas
Fonte Editorial, 2013

Referência temática da história da igreja cristã do tempo presente. O livro é um pulsante registro histórico-etnográfico da pesquisa de mestrado do jovem e audacioso historiador Edu Meinberg. Reúne os aspectos pontuais que caracterizam a Igreja Bola de Neve, da qual o autor foi membro. A análise descritiva que ele apresenta na obra conecta o leitor ao contexto das ações e das expressões religiosas em espaços urbanos modernos. Com base nas fontes de pesquisas a que teve acesso e utilizando-se de conceitos já consagrados nos estudos da religião, Meinberg difunde a ideia do uso de princípios de marketing e propaganda na igreja cristã. O livro é um convite para se pensar nessa grande onda midiática que chega às igrejas cristãs nos dias atuais produzindo novos modos de ser cristão, de interagir com o mundo, de conceber a fé, de cuidar do corpo e de ver a sociedade. É um tema da história da igreja local conectada com o global. O leitor pode tecer diálogos mais abrangentes, incluindo alguns temas polêmicos que emergem do livro, pois não são expressões e práticas exclusivas da Bola de Neve Church. Além disso, o livro é uma contribuição significativa para os estudos da história da igreja brasileira, que é múltipla e diversificada, e que merece ser escrita a partir de novos objetos e sujeitos e interpretada por diferentes ângulos.

Por Catarina Maria Costa dos Santos

Delas é o Reino dos Céus

Mídia evangélica infantil na cultura pós-moderna do Brasil (1950-2000)
Karina Kosicki Belloti
360 páginas
Annablume/FAPESP, 2010

Professora de história na Universidade Estadual de Maringá, Karina Kosichi Belloti apresenta ao público o resultado da sua pesquisa de doutorado com um título que é uma referência ao material didático utilizado na educação infantil nas igrejas do Brasil. O tema é abordado sob a perspectiva da história cultural e a leitura contribui para a compreensão dos processos de produção e de circulação dos ideais protestantes e da missão cristã em território brasileiro, na segunda metade do século 20. Ademais, as evidências documentais apresentadas pela autora demonstram que a cultura letrada de tradição protestante, que emergiu nas cidades brasileiras das décadas de 1950 a 2000, são expressões de um contexto sociocultural específico, fruto das relações entre o Brasil e Estados Unidos. Das revistas dominicais infantis aos desenhos animados de conteúdo evangélico, do material didático impresso à propaganda midiática, a historiadora observa que há um discurso que sugere modelos e padrões de ser e de viver do cristão, criando e promovendo uma cultura religiosa. A autora deixa claros o nome e o endereço das fontes pesquisadas a que teve acesso no Brasil e no exterior, demonstrando a abertura do tema para outras possibilidades de pesquisa. O rigor da linguagem acadêmica não compromete a leveza do livro. Por tudo isso, considero Delas é o Reino dos Céus uma obra indispensável para quem quer compreender mais um capítulo da história da igreja cristã, desta vez escrito sob uma outra perspectiva.

Por Catarina Maria Costa dos Santos

A Ética Protestante e o “Espírito” do Capitalismo

Max Weber
336 páginas
Companhia das Letras, 2004

Obra-prima da sociologia, não compõe o cânone da história da Igreja. Ao revogar uma história engessada em cronologias e fatos, nos permite conhecer ideias que forjaram a modernidade ocidental e identificar princípios da Reforma presentes em nossa cultura religiosa contemporânea. Infelizmente, alguns se dissiparam ao longo da história, alargando o fosso que nos separa de Wittenberg e Genebra.

Por Mateus Andrade

[500 Anos da Reforma]
Por Martinho Lutero

Vocês, orem assim: Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome. [Mateus 6.9]

Após ter denunciado orações pomposas e sem sentido, Cristo apresentou uma esplêndida e curta oração dele próprio. Com ela, ele nos instruiu sobre como orar e sobre o que devemos orar. Ele nos deu uma oração que engloba uma variedade de necessidades. Por si mesmas, essas necessidades deveriam nos obrigar a abordar Deus diariamente com essas poucas palavras facilmente lembradas. Nenhum de nós pode se desculpar dizendo que não sabemos como orar ou pelo que orar.

Orar a oração do Pai-Nosso todos os dias certamente é um hábito que vale a pena, especialmente para pessoas comuns e crianças. Nós podemos orá-la de manhã, à noite e à mesa da refeição – em qualquer horário. Ao fazer essa oração juntos, trazemos nossas necessidades diante de Deus.

Como foi-nos dito muitas vezes, a oração do Pai-Nosso é a melhor oração que alguém poderia ter criado ou que já foi enviada do céu. Pelo fato de Deus, o Pai, ter dado ao seu Filho palavras para a oração e lhe enviado para apresentá-la, sabemos sem dúvida que essa oração agrada ao Pai imensamente.

Já no início da oração, com as palavras “Pai nosso”, Jesus nos lembra do que Deus ordena e promete. Deus insiste que lhe prestemos o respeito, a honra e a reverência que ele merece, assim como os pais terrenos esperam de seus filhos. Deus Pai deseja também que creiamos que ele satisfará as nossas necessidades. E assim, porque confiamos que ele nos dará o que prometeu, podemos orar a ele com confiança no nome de Cristo, nosso Senhor.

Em 2017, Ultimato vai relembrar e celebrar os 500 anos da Reforma Protestante. O Blog publica, sempre às segundas-feiras, uma devocional do reformador Martinho Lutero, retirado do seu Somente a Fé – Um Ano com Lutero.

Livro da Semana   |   Verdadeiros Cientistas, Fé Verdadeira

O livro Verdadeiros Cientistas, Fé Verdadeira acaba de ganhar o prêmio Areté 2017, de melhor livro do ano, na categoria “Apologética”.

O anúncio aconteceu na quinta-feira à noite, dia 31 de agosto, na abertura da Feira Literária Internacional Cristã (FLIC), em São Paulo (SP). O Prêmio Areté, que se destina a reconhecer e premiar a excelência em literatura cristã, é promovido pela ASEC (Associação de Editores Cristãos).

Verdadeiros Cientistas, Fé Verdadeira reúne uma preciosa coletânea de histórias de cientistas, como Francis Collins, Alister McGrath, John Houghton, Andrew Briggs, entre outros, que estão vinculados a algumas das principais universidades e organizações científicas europeias e americanas, e têm suas contribuições reconhecidas e premiadas pela comunidade científica internacional.

O blog da Ultimato coloca à disposição do leitor parte da história de Alister McGrath, contada por ele mesmo.

 

Verdadeiros cientistas não acreditam em Deus!

Essa frase de efeito soará tristemente familiar para aqueles que tiveram de lutar contra as divagações, exageros e mal-entendidos presentes no livro Deus, um Delírio, de Richard Dawkins (2006). Trata-se de um ponto de vista que se sustenta apenas pelo uso incansável de atenção seletiva e de uma retórica carregada de ataques-surpresa,* em vez de argumentos baseados em evidências. No entanto, é uma visão que muitos na cultura ocidental parecem dispostos a aceitar como a sabedoria da nossa era. Como observou Karl Marx, a frequente repetição de um postulado fundamentalmente falso gera a impressão de que ele é correto e confiável. 

Dawkins parece enxergar o ateísmo intrínseco das ciências naturais como uma verdade óbvia para todos à exceção dos idiotas inatos, ou daqueles que tiveram a mente distorcida e infestada pela noção debilitante de que há um Deus que se interessa por nós e pelo nosso bem-estar. Talvez isso nos ajude a entender sua ira, intolerância e arrogância em relação à persistência (alguns diriam ressurgimento) da crença em Deus quando os profetas secularizadores do final da década de 1960 e início de 1970 haviam previsto sua morte inevitável.

Dawkins é modesto ao fornecer detalhes autobiográficos. Contudo, se entendi seu relato de sua própria conversão ao ateísmo, um elemento essencial do processo foi uma crença cada vez maior de que o darwinismo oferecia uma explicação muito superior da natureza do mundo do qualquer outra que recorresse a Deus. Para Dawkins, a descoberta do darwinismo ocorreu quando ele era estudante na escola de Oundle e consolidou-se durante seus estudos de zoologia na Universidade de Oxford. Assim, as ciências naturais atuaram como um catalisador para sua “desconversão” do que aparenta ter sido uma forma anêmica de um anglicanismo nominal.

Continue lendo →

Conteúdo extra oferecido como “Mais na Internet” na revista Ultimato, edição #367.

Por Ari Käfer

Em 1979, ingressei no internato da Escola Evangélica de Ivoti, RS, hoje Instituto de Educação Ivoti. Lá, tive a oportunidade de aprender a tocar instrumentos de sopro. Enquanto estive na faculdade de teologia, na EST, em São Leopoldo, RS, de 1982 a 1987, participei de encontros de coros de metais, antes de ser fundada a Obra Missionária Acordai.         

A Obra Missionária de Metais Acordai foi fundada em 1989. O primeiro presidente foi o pastor Johann Friedrich Genthner. Em 2007, eu o sucedi e permaneci na presidência até 2015, quando foi eleito o novo conselho administrativo, cujo presidente é o senhor Marcos Petri.

Ao longo da minha vida pastoral, dei aulas de instrumentos de sopro e criei coros de metais nas paróquias onde atuei. Sempre me empenhei em cativar crianças e adolescentes para essa missão. Outro enfoque é a motivação da participação feminina, pois no passado os coros de metais eram compostos majoritariamente por homens. Pela graça de Deus, pude deixar coros de metais nas paróquias de Mercedes, PR, Schroeder, SC, Blumenau, SC, Capela de Santana, RS, e agora temos um grupo motivado em Pinhão, PR, e outro em Colônia Cachoeira, PR.

Continue lendo →

Selo da campanha editorial do mês de agosto

Durante o mês de agosto, o Portal Ultimato contou histórias sobre sobre Deus e sobre Jesus, histórias de gente pequena, gente jovem, gente de mais idade, gente que viveu no passado, gente simples, gente ‘famosa’. Histórias que acontecem no ambiente da igreja, na estrada, em casa e na comunidade. Confira o que foi publicado!

A história de uma centenária
Só tenho a agradecer e vou levando até Deus me chamar. Só não tenho pressa, se eu puder ir quando tiver 200 ou 300 anos eu vou. [Judith Salvador]

O verdadeiro menino da pipa
Tudo começou com um encontro acidental com meninos de pele e osso, dos quais nunca soube o nome. [A história por trás da foto | Liz Valente]

A cruz e a esperança no interior do centro oeste brasileiro
A cruz vazada no campus da UniEvangélica lembra aos estudantes e professores que, mesmo em mundo caótico, há esperança. A ansiedade não tem mais porque vencer. [Rita Santos]

Os meus sonhos não foram os sonhos de Deus
Pude ensinar a centenas de jovens que foram onde eu nunca poderia ter ido, e fizeram e estão fazendo, muito mais do que eu faria. [Ycléa Cervino]

Histórias que não gostamos de ouvir
As histórias bíblicas não escondem o lado humano e pecaminoso do ser humano, e não deixam de mostrar as falhas de seus “heróis”. [Billy Lane]

Continue lendo →