Um salmo bastante conhecido quando o assunto é família traz uma revelação belíssima sobre o desejo de Deus para aqueles que se tornarão avós: “Que, do monte Sião, o Senhor o abençoe! Que em todos os dias de sua vida, você veja o progresso de Jerusalém! E que você viva para ver os seus netos!” (Sl 128.5,6, NTLH).

 

Deus tem prazer em que pais e mães vejam a prosperidade não apenas sobre suas casas, mas também sobre os filhos de seus filhos e desfrutem da presença dos netos como um presente valiosíssimo, uma coroa, como diz Salomão (Pv 17.6).

 

Além da bênção que os netos representam na vida dos avós, a chegada deles e a convivência são capazes de causar grande revolução: mais alegria, bem-estar, jovialidade, disposição, leveza, laços de amor renovados e um coração grato e cheio de esperança.

 

Para celebrar o “Dia dos Avós”, comemorado em 26 de julho, Ultimato convidou vários amigos para contar o que mudou na vida deles quando os netos e netas chegaram. Confira a seguir.

 

“Ficamos mais moços quando nos tornamos avós”

Que delícia! Que maravilha! Um neto é uma coisa de Deus, uma herança do Senhor e traz muita alegria e esperança para os avós. Eu tive dez netos. Desses dez, eu não sei quem é o melhor. Eu acho que todos. Elben e eu ficamos muito satisfeitos com esses dez netinhos que nasceram ao longo do tempo. O mais velho é o Jônatas e depois vem o Artur, Pedro, Josué, Alice, Raquel, André, Davi, Clara e Timóteo, o temporão.

Ficamos mais moços quando nos tornamos avós, ficamos mais jovens. A presença de criança na vida da gente torna a gente mais ativa, mais alegre, mais satisfeita e mais agradável. Tenho seis bisnetos. Já tenho vários netos casados e de três famílias eu tenho quase sete: seis e uma com sete meses de gestação.

– Djanira César

 

“Somos mais leves, menos exigentes, mais esperançosos”

Já disse Rachel de Queiroz que “… Netos são como heranças: você os ganha sem merecer. Sem ter feito nada para isso, de repente lhe caem do céu… Com a idade chega a saudade de alguma coisa que você tinha e que lhe fugiu sutilmente junto com a mocidade… Tenho certeza de que a vida nos dá netos para compensar todas as perdas trazidas pela velhice. São amores novos, profundos e felizes, que vêm ocupar aquele lugar vazio, nostálgico (…)”

Para nós, o mais significativo foi a expectativa de cumprimento da promessa de Gênesis 17:7, onde se lê: “Estabelecerei o meu pacto contigo e com a tua descendência…para te ser por Deus a ti e à tua descendência depois de ti”.

Não é lugar comum, para nós, dizer que o tempo voou. Ele realmente fugiu de nossas mãos. E ter agora a oportunidade de conviver de novo com uma criança na família é algo restaurador, rejuvenescedor e que nos dá a sensação de nova chance para correção de erros passados. Desde que nos tornamos uma família, nossa oração diária é que o Senhor preserve a Sua salvação na nossa casa por muitas gerações. E ter a oportunidade de conhecer um dos rostos que será responsável por levar essa meta adiante é mais do que gratidão, é estar diante do Pai, de mãos dadas com Ele, louvando pela experiência e incluindo a pequena Rebeca na tarefa que assumimos como família.

O que mudou? Somos mais leves, menos exigentes, mais esperançosos e reconhecemos que a amamos com extravagância e ainda tem muito mais amor para distribuir. Que ela seja a primeira de uma fila!

– Angelo e Emiliane Andrade, avós da Rebeca Gusmão Andrade (nossa legenda preferida)

 

“Cada abraço aquece nossos corações e renova nossos sonhos”

A chegada do Gustavo nas nossas vidas nos trouxe a oportunidade de renovarmos nossos laços afetivos e nosso compromisso de prosseguirmos juntos, num momento bastante complexo do nosso casamento!

Gustavo é sinônimo de bondade, pureza, conciliação e graça. Sempre que precisa consertar algo para si ou para algum colega, recorre ao Vovô Roberto e se é para colocar em prática alguma de suas ideias mirabolantes, tem sempre o apoio total e irrestrito da Vovó Soraya.

Felizes também são seus bisavós, que recebem muito carinho e cuidado dessa criança que contagia a todos com sua alegria. Cada abraço aquece nossos corações e renova nossos sonhos.

– Roberto e Soraya, avós de Gustavo

 

“A felicidade de incluir mais um nome em minhas orações”

Receber do Senhor uma netinha renovou em mim o desejo de viver mais para Ele. A chegada da Beatriz era sinal da bênção divina em nossa família. Palavras não eram suficientes para mostrar minha gratidão. Só maior dedicação retrataria diante do meu Deus a alegria que invadia meu coração.

A felicidade de incluir mais um nome em minhas orações tornaram meus momentos devocionais mais significativos. Cresce dentro de mim o desejo de ver minha netinha tornar-se uma serva do Senhor.

O que mudou em minha vida? A alegria indefinível e a disposição imensa de ser uma avó que pregue, com a vida, o amor divino.

– Noemi Lucilia L. S. Ferreira, avó da Beatriz

 

“A sua presença trouxe novidades, movimento, alegrias”

A notícia de que chegaria um neto foi inesperada. A sua chegada foi muito desejada. Desde logo nosso neto nos cativou. Alterou nossa rotina. Aumentamos muito o número de viagens para visitá-lo. Logo começamos a recebê-lo em casa para passar algum tempo conosco. E a sua presença, em cada fase diferente de seu desenvolvimento, trouxe novidades, movimento, alegrias. Trouxe também uma reflexão: “Por que não gastei mais tempo para aproveitar a infância dos filhos? Eles cresceram tão rápido. Já sou avô”.

Nosso netinho renovou a oportunidade do privilégio de conviver de perto com uma criança e toda sua graça e chamado à vida. É uma dádiva de Deus ter vivido até aqui para experimentar ser avô.

– Wilson Costa, avô do Gabriel

 

“Nossas netas são para nós esperança feita em gente”

Tudo que Deus faz é perfeito! O tempo de ser avô e avó faz parte desse mundo perfeito de Deus. Os netos chegam no tempo que nos encontramos num novo estágio da vida, tempo de questionamentos e dúvidas! Tempo quando encaramos a nossa finitude, percebemos nossos pais idosos, vemos os filhos batendo asas.

Os netos são para os avós esse sopro de esperança que Deus nos presenteia. A renovação da graça que segue, de geração em geração. Maria e Clara, nossas netas, são para nós esperança feita em gente.

– Carlinhos Veiga e Cláudia Barbosa

 

“Ser avós nos faz rejuvenescer em alegria, ânimo e fé”

Ouvíamos dizer que nos tornar avós oficializaria de vez o envelhecimento, e isso dito com um aspecto bem negativo.

Mas agora com quatro netos, dizemos que ser avós nos faz rejuvenescer em alegria, ânimo e fé.

Voltamos a ser crianças de espírito e a experimentar uma velhice de maturidade e gratidão. Os nossos netos fizeram isso conosco.

– Jony e Lênia Almeida, avós de Judá, Maria, Tessá e Joel

 

Leia mais
» Não basta viver mais
» Ele me ensinou o que é graça

Por Eric Nishimura Princi
Tudo ao mesmo tempo

O ano era 2007, o mês, dezembro. Eu estava me formando em Ciência da Computação na USP e havia decidido encarar o desafio de abrir minha empresa, com apoio da minha família, que já possuía um negócio na área de tecnologia. Além disso, estava prestes a me casar, e quem já passou por isso, sabe que é uma fase “inten$a”.

Nessa época, eu já era muito ativo na igreja local: fazia parte da liderança dos jovens, cuidava da banda da juventude, coordenava uma célula e ajudava no dia-a-dia da igreja.

Aconteceu que em 2008, nosso pastor de juventude partiu para uma nova missão e ficamos sem líder. Preocupado com aquela situação, me juntei com outros amigos e desenvolvemos um projeto para podermos reverter aquele quadro. Resultado: fui chamado para assumir a liderança dos jovens.

Pois é, lá estava eu, com 23 anos, vendo tudo acontecer ao mesmo tempo: empreendendo, assumindo um ministério e casando!

Continue lendo →

Viçosa é uma terra de muitas acolhidas e de muitas despedidas. Ultimato, aqui presente, não fica fora dessa. No final de junho foi hora de dizer até logo ao Phelipe Reis, o amazonense que veio se preparar no Centro Evangélico de Missões para o campo missionário e que conosco atuou como jornalista, contribuindo na revista, no portal, no blog Paralelo 10 e fazendo belos registros audiovisuais dos nossos momentos de comunhão.

Na despedida, Phelipe compartilhou conosco, na hora do café, algumas palavras sobre seu período na editora Ultimato e sobre sua saída. E agora as compartilhamos com você também. Ao final está o link com informações sobre o projeto missionário ao qual ele e a família vão se dedicar na volta ao Amazonas:

Com pesar escrevo essas palavras, mas também com o coração encharcado de gratidão e alegria.

 

Pesar porque estou me despedindo de Ultimato: uma casa, uma família. Apesar do pouco tempo, essa casa é daquelas que não permite nascer em nós a vontade de ir embora. Mas o que mais me entristece mesmo é saber que não comerei mais as tortas e os pães caseiros da Lucinéa.

 

Mas me despeço com Gratidão a Deus por ter sido acolhido com tanta consideração na redação da editora Ultimato, desde março de 2015, quando me mudei com minha família do Amazonas para Viçosa. Gratidão por ter aprendido tanto, não apenas sobre minha vocação, sobre missão e comunicação, mas sobre como ter uma vida que em tudo glorifique à Deus. Gratidão por fazer parte de um projeto tão significativo, ao lado de pessoas tão humildes, tão capacitadas e tão queridas.

 

E avanço com alegria… Alegria por ter tido o privilégio de fazer parte da família Ultimato. Alegria por saber que, junto com minha família, estamos nos despedindo de Viçosa para dar um passo de fé e obediência à direção de Deus para nossas vidas. Alegria por saber que, mesmo que não entendamos ou saibamos os detalhes da caminhada, aquele que nos chamou conhece todo o percurso e sabe o que é melhor para os seus.

 

Nesta sexta-feira, 29/06, me desligo voluntariamente do quadro de funcionários da editora Ultimato. Eu e minha família estamos nos despedindo de Viçosa e retornando ao Amazonas para assumir novos projetos. Vamos com o coração cheio de alegria e ardente desejo para testemunhar o evangelho e servir entre os indígenas que vivem em contexto urbano, junto à nossa igreja em Parintins. Ficaria contente em compartilhar um pouco mais sobre essa nova etapa que se inicia. Você pode ver o nosso projeto clicando aqui.

 

Me despeço com gratidão e esperança,

 

  • Phelipe Reis, o curumim sonhador do Amazonas, casado com Luíze, pai da Elis e do Joaquim ou da Clara, que ainda está pequeninho/a na barriga da mãe.

Continue lendo →

Confira os destaques da seção ULTIMATOONLINE publicados na edição 372 da revista Ultimato.

Para encontrar mais conteúdo, com atualização diária, acesse portal Ultimatoonline ou a loja virtual com os lançamentos e tudo sobre os nossos livros. Conheça também o acervo digital da revista Ultimato.

 

ARTIGOS – ALGUNS DOS MAIS LIDOS

Ultimato lança série de comentários bíblicos de John Stott [Prateleira]

As fake news e a Igreja [Marcos Bontempo]

Por que levar a Bíblia para a igreja? Dos papiros ao smartphone [Cláudio Marra]

Como ensinar a criança a ler a Bíblia [Márcia Barbutti]

Como a Bíblia lida com os novos arranjos familiares [Luiz Fernando dos Santos]

 

LIVROS – ALGUNS DOS MAIS VISTOS

Lendo o Sermão do Monte com John Stott – John Stott

Século I – A Reconstrução – Cayo César Morais dos Santos

O Reino de Deus e a Transformação Social – Mauricio Cunha

Acontece nas Melhores Famílias – Carlos “Catito” Grzybowski e Jorge E. Maldonado

Série Ultimato 50 Anos – Elben César

 

VOCÊ NÃO É O QUE VOCÊ FAZ

Você já observou quão estranha é a resposta “sou engenheiro” ou “sou professor” à pergunta “O que você é?”. Uma pergunta altamente filosófica, que questiona o mais profundo de nossa identidade, tão naturalmente respondida com o que temos como profissão.

Do pastor Luís Fernando Nacif, o artigo lembra que nenhuma profissão é tão importante que possa substituir quem nós realmente somos e que a distinção entre trabalho secular e trabalho sagrado está muito mais em nossas mentes e teologia do que no coração de Jesus.
Continue lendo →

Em abril Ultimato recebeu para um café um grupo de velhos amigos. São ex-alunos da Universidade Federal de Viçosa que moraram em Viçosa (MG) e congregaram na Igreja Presbiteriana, entre 1995 e 2005. Alguns estagiaram e trabalharam na editora Ultimato.

Além dos velhos amigos, os novos também apareceram: vários dos ex-alunos vieram agora com suas famílias, e várias crianças correram pelo nosso jardim. Livros, doce de leite, amizade… que visita boa!

É assim que celebramos 50 anos de caminhada: com amigos marcando nossa história, e marcando a história de amigos.

Assista no vídeo um pouquinho de como foi essa visita, e o que esse pessoal teve a dizer sobre esse momento tão especial:

No dia 10 de julho a equipe Ultimato teve a alegria de receber o pastor Timóteo Carriker para o café e devocional semanal.

Além de amigo de longa data, Timóteo faz parte da história de Ultimato e do Centro Evangélico de Missões (CEM), do qual foi o primeiro coordenador acadêmico. Segundo o pastor Elben César1, Timóteo ofereceu ajuda tanto à preparação do currículo da escola de missões transculturais quanto à organização de uma série de palestras a respeito da missão que foram publicadas, posteriormente, na Ultimato.

Timóteo Carriker é autor do livro O Que é Igreja Missional, lançamento de agosto de 2018 pela Ultimato, e também de A Visão Missionária na Bíblia e Trabalho, Descanso e Dinheiro.

Timóteo e a família vieram para o Brasil na década de 1970 para servir a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos da América no ministério de acampamentos, evangelismo e desenvolvimento de igrejas no centro-oeste e sul do país e junto com a esposa, Marta Carriker, e duas filhas morou em Viçosa, MG, por quase sete anos.

A partir do texto de Apocalipse 21.1-4, Timóteo falou à equipe daquilo que chamou “causas resolvidas”. Quando vierem o novo céu e nova terra, já não haverá mais lágrimas, morte, tristeza, choro nem dor. Os que estão em Cristo já experimentam parte da plenitude que está por vir: são novas criaturas. Então, o que é novo já começou!

Timóteo encorajou os ultimateiros a continuarem a fazer o que estão fazendo – divulgando a boa nova de Jesus por meio de suas publicações – e afirmou que uma das maiores alegrias no futuro será olhar para trás e notar que o que fazemos vale muito a pena.

Confira as fotos da visita no final deste post.

Nota
1. Eu também tenho consciência missionária (Ultimato, março de 1995, p. 23).

Acompanhe o blog pessoal de Timóteo Carriker.

Conheça os livros de Timóteo Carriker publicados pela Editora Ultimato:

Em 2018, visite Ultimato!

Este convite tem sido feito com maior ênfase desde janeiro de 2018 quando, na edição de janeiro/fevereiro de Ultimato, anunciamos que a Editora está de portas abertas toda para receber visitas: “Venha tomar um café com pão de queijo e doce de leite”.

A ação faz parte da comemoração dos 50 anos e é um incremento ao que Ultimato faz no dia a dia, há 50 anos.

Para agendar uma visita fale com Jaqueline no e-mail atendimento@ultimato.com.br ou via whatsapp: 31 9 9437 0043. Será uma alegria receber você!

O conteúdo completo da edição 372, de julho-agosto da revista Ultimato,  está disponível para o assinante.

Na matéria de capa, Sexo Estragado – o que fizemos com o presente de Deus. Como lidar com a sexualidade e com as várias perguntas da igreja, bem como oferecer apoio e aconselhamento nessa área? O que significa ética e integridade sexual a partir das Escrituras?

Claro, a revista também fala de política e de “fake news”, sobre o que significa ser evangélico e o futuro do evangelicalismo, sobre a mais decisiva das doutrinas, sobre arte e ainda conta com os conhecidos colunistas e colaboradores com os quais o leitor está acostumado.

Confira no sumário abaixo o que você vai ler nessa edição.

Se você ainda não é assinante e quer receber esse exemplar de CORTESIA, acesse esse link e preencha com seus dados, até 31 de julho de 2018.