Por Elisa Camargo

Onde está o nosso maior desafio, é onde Deus nos quer.

A minha vida é uma mistura de muitas coisas, muitos temperos, culturas e amizades. Nasci na África do Sul, porém minha família morava no Moçambique, onde fiquei até os 5 anos de idade. Depois tivemos que voltar para o Brasil, onde fui alfabetizada em português numa escolinha que amo muito (IPE – Instituto Presbiteriano de Educação), e agora com a família um pouco maior voltamos a sair novamente, eu tendo 7-8 anos. Dessa vez, ficamos por 9 anos nesse novo campo, e foram 9 anos incríveis e muito abençoados, onde Deus já veio me moldando para me tornar o que sou hoje, com a profissão e vocação que está crescendo aqui no Brasil.

Durante esse tempo que passamos nesse país, acabamos tendo que fazer escola em casa, ou homeschooling, porque não havia escolas em português lá, e foi a melhor opção. Mas em que língua foi então? Francês. Após 6 meses na França antes de ir para o novo país, e uma facilidade incrível que crianças têm de aprender uma nova língua, essa foi a escolha que meus pais fizeram enquanto a nos educar. Minha mãe se dedicou a ensinar 3 crianças em casa, e garanto que ela fez um trabalho incrível! Mas tinha coisas mais complicadas, como gramática do francês, onde fomos ajudados por professores e estudantes que se dispunham a passar uma temporada na nossa casa. E eu nisso tudo? Detestava gramática e matemática, e era sinceramente terrível (às vezes -risos-) com esses professores. Jurava de pés juntos que nunca seria professora, e muito menos professora de francês.

Ah, mas os planos de Deus são outros! Após voltarmos para o Brasil, caí de paraquedas no segundo ano na mesma escola querida, e já fui sendo preparada para a grande e temida prova do Enem. No meio disso tudo, tive uma conversa com uma pessoa que me disse que onde estava o maior desafio dela, era ali onde Deus queria que ela trabalhasse. Eu levei isso como um desafio para a área de exatas, como engenharia, ou veterinária (é biológicas eu sei) que eu sempre fui apaixonada por, mas não era bem ali que Deus me queria. Depois de muita decepção e choro na prova do Enem, acabei escolhendo algo que me chamou muito a atenção, que era o curso de Letras-Linguística, porque senti que lá poderia explorar e usufruir da minha facilidade com idiomas. Foi um aprendizado incrível nesse um ano que passei pela UFG, e me apaixonei pelo curso.

Mas como nada é eterno, mudamos não de país, mas sim de cidades dessa vez. Viemos para Viçosa, cidade pequena, mas cheia de coisas boas, inclusive o melhor doce de leite do Brasil. Depois de um ano aqui, consegui entrar de novo na universidade, e claro, escolhi o mesmo curso. Mas lembra que eu disse que nunca seria professora de francês? Pois bem, estou cursando justamente Letras-Francês. E inclusive já estou dando aula. Amo o que faço. Realmente os planos de Deus são outros, eles são bons e perfeitos.

Foi neste ponto da minha vida que comecei a descobrir minha vocação, o que fui chamada para ser no Reino de Deus. Ele usou vários meios para abrir meus olhos e entender o meu papel enquanto serva d’Ele neste mundo.

Como participante do Vocare tive acesso a uma plataforma incrível de cuidado com o jovem e sua santa vocação. Também pude participar do Philhos, um acampamento voltado para o cuidado de FMs (Filhos de Missionários), que me ajudou muitíssimo na minha reinserção e readaptação no Brasil. Mas tem uma coisa lá atrás, que Deus já vinha me preparando para ser o que sou hoje, que é professora. Sou grata a todos os professores, inclusive meus pais, que não desistiram de nos ensinar e dar parte do tempo deles, apesar das caretas que eu fazia. Tenho entendido que agora sou eu quem deve seguir a própria caminhada com Deus e traçar ela para minha família, assim como meus pais com muita sabedoria fizeram para meus irmãos e eu.

Olhando para trás, fico maravilhada como tudo cooperou e ainda coopera para o bem daqueles que creem em Cristo, e tudo funciona numa perfeita e divina harmonia. Nossa trajetória neste mundo não é fácil, muitas vezes nos sentimos perdidos e desamparados, mas nada escapa das mãos de Deus, assim como nem um fio da nossa cabeça cai sem que Deus o permita. Em Josué 1: 9, temos um versículo de encorajamento e uma certeza absoluta, para nós cristãos: aonde quer que vamos, o Senhor nosso Deus é conosco. Esse foi o primeiro versículo que aprendi de cor quando tinha 11 anos, e ele tem sido um lembrete diário de onde devo depositar minha confiança, assim como minhas preocupações e medos. E lembre-se, onde está o nosso maior desafio, é ali onde Deus nos quer.

• Elisa Camargo tem 21 anos e nasceu em Joanesburgo, África do Sul. Estuda Letras-Francês na Universidade Federal de Viçosa, onde também é professora de Francês em um curso de extensão.

Leia mais: 

» O Meu Lugar no Mundo: Qual é o seu papel no corpo de Cristo?

» O Meu Lugar no Mundo: Vivendo para a glória do reino, entre flores e espinhos

Leave a Reply to Beatriz Pinho Tavares Cancel Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *