A edição 374 (novembro/dezembro 2018) da revista Ultimato já chegou, está a caminho da casa dos assinantes, e traz como matéria de capa “Uma igreja que não consegue se esconder”. É um convite pata que o leitor reavive a alegria pelo privilégio de ser parte do Corpo de Cristo.

Os tempos são difíceis, é verdade. É justamente nesse momento que mais precisamos refletir sobre o que significa ser igreja. Um momento que nos leva à oração, à confissão e ao compromisso com a renovação da Igreja.

Para alguns, esta pode ser também uma convocação ao retorno a uma comunidade local. A edição 374 traz em seu Especial as respostas de oito entrevistados sobre o fenômeno dos “sem-igreja”, em “Desigrejismo – ‘anomalia’ ou opção?”.

Esta reflexão sobre a Igreja, no convite para renovarmos a alegria pelo privilégio de ser parte do Corpo de Cristo, nada tem nada a ver com um exercício de imaginar a “igreja dos meus sonhos”. Tem a ver com relembrar que a Igreja está no centro do propósito de Deus.

Como registrado na carta ao leitor desta edição, refletir sobre o que é ‘ser igreja’ incluirá suas falhas e acertos, feiuras e belezas, e um compromisso com a renovação da igreja. “É no contexto de dias difíceis (testemunho cristão questionado e demandas complexas da sociedade) que a igreja está sendo chamada a dar sua contribuição única. Que Deus nos ajude a sermos uma igreja que, sem espalhafato, aponte para Cristo. Para a glória de Deus”.

Se você também quer receber essa e outras edições da revista Ultimato em sua casa, ou quer dar uma assinatura de presente, confira as opções aqui.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *