Por Matheus Ortega

“O vento sopra onde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem para onde vai. Assim acontece com todos os nascidos do Espírito” (João 3.8).

Sempre quis voar. Sentir a liberdade de flutuar no ar e a corrente do vento me conduzindo. Deixar a vida voar como se ela fosse uma folha no vento. Perder a estabilidade do chão e simplesmente se deixar levar.

Minha vida com Deus tem tido esse tema recorrente. Aos 23 anos, recém-formado e cheio de energia, tomei um não em todas entrevistas de emprego que fiz. Desiludido com os estudos e em ser um jovem solteiro enquanto todos namoravam, fiz uma oração simples a Deus: “eis-me aqui”. De repente, me vi envolvido em um projeto de missões no Piauí, e depois em um trabalho voluntário no Haiti, após o terremoto devastador de 2010, onde eu ajudei com ações de assistência social e comecei uma escola de música, em Porto Príncipe[1].

Ali, começou um despertar de Deus para minha vida: ser uma voz de transformação em um mundo tão necessitado. Senti Deus me conduzindo a estudar mais para dedicar minha vida ao desenvolvimento econômico e social. Consegui uma bolsa integral para estudar na London School of Economics e passei um ano da minha vida naquela terra fria. Me envolvi em projetos muito interessantes, como o de dirigir um documentário no sertão do Brasil[2] e outro com uma comunidade de ex-viciados em drogas, na Itália[3].

Porém, em algum momento de minha vida, perdi minha essência de voar.

Foto: Alyson Montrezol

Vivi coisas muito importantes depois desses projetos. Me casei com o amor da minha vida, tive um filho lindo. Cresci mais em meu caráter do que em muitos anos de projetos e viagens. Senti como se estivesse sendo recarregado na tomada, recuperando energia. Mas estava com os pés plantados no chão da estabilidade e da rotina de trabalho. E com vontade de voar.

Alguns meses atrás, me vi ajoelhado em minha cama fazendo a seguinte oração: “Deus, para o que eu sirvo?” Desde então, tenho experimentado o vento do Espírito me levando a uma nova estação. Tenho tido fome de ouvir a meu Criador. Comecei a ter sonhos durante a noite e palavras proféticas com Deus me falando claramente quem eu sou. Ele me relembrou de minha existência, e voltei a sentir queimando essa urgência em ser relevante no mundo. Como diz N. T. Wright, “quanto mais tenho aprendido sobre Jesus, mais tenho descoberto sobre a paixão de Deus em consertar o mundo”[4]. Não quero mais guiar minha própria vida, quero fazer parte desse plano do reino de Deus no mundo.

Hoje tenho 30 anos, sou um profissional de relações governamentais no Consulado Britânico e projetos com arte – composições, produções[5], canais de YouTube[6], documentários e muitos sonhos. Enquanto escrevo esse post estou arrumando as malas para viajar à África, para fazer um documentário. Estou sonhando com o que Deus quer fazer através de mim e em mim.

Estou longe de explorar todo o potencial que Deus tem para seus filhos. Mas tenho descoberto que não é um problema não saber de onde você vem ou para onde vai. Os nascidos do Espírito são assim. Contudo, eles sabem com quem eles vão.

Foto: Alyson Montrezol

O meu lugar no mundo não é ser alguém relevante; não é chegar a um lugar de proeminência; não é arrancar aplausos do mundo. Não, pois esses aplausos seriam para mim. É saber com quem eu ando, e me lançar nessa corrente de vento para ser quem Deus quer que eu seja.

Que você seja desafiado hoje a criar raízes profundas, mas a não ficar preso ao solo. Sonhe em voar. Não há nada mais incrível do que ser como uma folha no vento de Deus.

• Matheus Ortega, trinta anos, casado com Bruna, pai do Levi, trabalha no Consulado Britânico, desenvolve projetos sociais com música e cinema.

Notas:
[1] Escola de Música do Haiti, 2011. www.haitimusicschool.wordpress.com.
[2] Pedalando no Sertão, 2013. Documentário: https://vimeo.com/73620728.
[3] Forget Me Not, 2012. Documentário: https://vimeo.com/145984786.
[4] N.T. Wright, 2010. Simply Christian. HarperOne, pp. xi.
[5] CD Nova Esperança, 2017. https://open.spotify.com/album/6kl1GGMhazhRFVMLLu01JG
[6] YouTube Canal Mat Ortega. Sons de Flauta. https://www.youtube.com/channel/UCCU1jmv__lH9TpeBS-38MTw

Photo by Adrianna Calvo from Pexels.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *