Tem pai que gosta de ciência, pai que se dedica a pensar sobre a igreja, que curte arte, que ama um bom devocionário, e por aí vai. Cada pai tem seus interesses, e Ultimato tem um livro que pode fazer parte da história de cada pai. Para esse Dia dos Pais alguns desses homens nos contaram um pouco de suas relações com nossos livros. E você, qual livro recomenda?

 

Recomendo Refeições Diárias com Jesus. Esse é um dos devocionários que o Reverendo Elben escreveu, e é o que a gente mais gosta. Ele é baseado nos quatro evangelhos, que narram a encarnação, a vida, a obra, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Pra gente esse devocionário tem um gostinho especial porque ele faz parte de um momento muito marcante da nossa vida, nos ajudou a ter um ritmo diário de devoção em casa, que foi muito precioso.

– Pedro Paulo Valente, pai de João e Davi

 

“Arte Cristã” não é uma arte que usa temas bíblicos ou cristãos. Não é a expressão criativa de pessoas que aceitaram a Cristo. Claro, há muita diferença entre o cristão e o não cristão. Mas, não podemos procurar essa diferença no lugar errado. Rookmaaker nos ajuda a pensar sobre isso.

– Marcos Bontempo, pai de Clara e André

 

 

Eu indico Súplicas de um Necessitado porque é um livro que, além de uma linguagem simples e acessível, nos desafia a orar de maneiras como nunca fizemos antes. Acima de tudo, o livro nos leva a reconhecer e somos pobres e necessitados do auxílio de Deus. Acho que com o passar do tempo temos uma tendência natural de cair na religiosidade e monotonia, e neste pequeno livro o pastor Elben César nos ajuda a aprofundar nosso relacionamento com Deus, nos lembrando de orar por coisas que geralmente deixamos de lado. É um excelente guia para quem deseja melhorar e aprofundar sua prática de oração.

– Phelipe Reis, pai da Elis

 

Não deveríamos esperar envelhecer para ler um livro como É Preciso Saber Envelhecer. Se tivéssemos lido há 30 anos, certamente hoje teríamos uma melhor visão sobre a vida, o que influencia nos relacionamentos familiares, na educação dos filhos, em tudo. Uma velhice com os moldes e padrões cristãos pode se tornar muito mais prazerosa e abençoadora. Deus quer nos usar em qualquer idade, em qualquer época da nossa vida.

– Eliézer Camargo, pai de Elisa, Caleb e Raquel

 

Recomento o livro A Espiritualidade, O Evangelho e a Igreja, de Ricardo Barbosa, por abordar os três temas mais preciosos da vida cristã, na minha opinião. Aprecio a maneira como foi abordado cada um dos temas, trazendo algo vivo e não intimista e alienado da realidade. A espiritualidade vista como o tratamento sincero de nosso ser, o evangelho como a verdade da nossa vida semanal e a comunidade como o lugar onde podemos crescer como pessoa no contato com o outro. 

– Jony Almeida, pai de Jônatas e Pedro, e avô de Judá e Maria

 

Desde 1978, quando vim estudar em Viçosa, Ultimato me ajuda a refletir sobre os assuntos atuais sob a perspectiva bíblica, e vice-versa. Ao longo dos anos vi Ultimato abordar, sem medo, assuntos polêmicos como a Teologia da Libertação, a homossexualidade e até mesmo Harry Potter. E entrevistar pessoas ilustres, como o apóstolo Paulo em pleno Pacaembu, em 1984. Claro que a reação dos leitores sempre foi a mais variada possível. O livro Cartas a Ultimato – uma radiografia do cristianismo brasileiro reuniu várias dessas interessantes cartas. Vale a pena assinar Ultimato e ler esse livro, que despretensiosamente faz parte da nossa história.

– Ney Sakiyama, pai de Felipe, Elisa e Larissa

 

Sou muito interessando por esse tema de fé e razão. Acho que a gente tem que buscar conhecer a verdade, e nesse debate de ciência e fé cristã, uma coisa não exclui a outra. Muitos autores nos ajudam a entender como essas formas de entender a realidade podem se complementar e nos fazer ter uma noção melhor de como viver.

– Paulo Sacramento, pai de Melissa e Sebastian

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>