[500 Anos da Reforma]
Por Martinho Lutero

Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: ’Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus’”. [Mateus 4.7]

Se não usarmos os recursos que temos disponíveis e, em vez disso, desejarmos recursos que não temos, então estaremos colocando Deus à prova. Isso é o que Satanás queria que Cristo fizesse. Satanás disse a Jesus para se lançar do templo enquanto existiam degraus que ele poderia usar para descer. Alguém que não veste roupas apropriadas no inverno, mas espera que Deus, miraculosamente, impeça-o de congelar também está testando Deus. Foi assim com os líderes judeus, que ignoravam os sinais que haviam recebido e desejavam que viessem outros sinais do céu. Da mesma maneira, as pessoas que dormem quando deveriam trabalhar estão testando Deus. Por Deus ter prometido cuidar deles, eles consideram que Deus encontrará uma forma de sustentá-los. Mas, em Provérbios, Deus diz a eles para trabalharem: “As mãos preguiçosas empobrecem o homem, porém as mãos diligentes lhe trazem riqueza” (Pv 10.4).

A obra de Deus é realizada quando usamos os recursos que nos são concedidos. Ele deseja que usemos os nossos recursos, mas sem colocar a nossa confiança neles. Apesar de ser verdade que as mãos que trabalham arduamente trazem riqueza, também é verdade que somente a bênção do Senhor a produz. Como Salomão disse, “A bênção do Senhor traz riqueza, e não inclui dor alguma” (Pv 10.22). Mesmo que as pessoas usem armas para se defender, ainda será Deus quem as irá salvar. Sem o auxílio de Deus, as pessoas que tentam se defender falham. Como Davi disse, “Não confio em meu arco, minha espada não me concede a vitória; mas tu nos concedes a vitória sobre os nossos adversários” (Sl 44.6-7). Deus usará as armas para livrar o povo se elas puderem ser usadas, mas ele também pode livrar o povo mesmo não havendo armas. Portanto, devemos usar o que temos, mas sem confiar nessas coisas. Devemos confiar somente em Deus, tendo ou não os recursos dos quais necessitamos.

Em 2017, Ultimato vai relembrar e celebrar os 500 anos da Reforma Protestante. O Blog publica, sempre às segundas-feiras, uma devocional do reformador Martinho Lutero, retirado do seu Somente a Fé – Um Ano com Lutero.
    • Paulo Sergio da Silva

      Bom dia ,não devemos confundir tentar a Deus com o provar pela fé na fidelidade e promessa de Deus relatado em malaquias,Nosso Deus é deus zeloso que cuida dos seus,nos dando o nessessario o que precisamos não o que desejamos.Agora se somos seus! Os filhos De Deus são obedientes a ele porque o amam por isso o Pai amoroso cuida e promete cuidado,não nos desampara ,é diferente daquele que exige ou espera algo a mais de Deus como prega a teologia da prosperidade estimulando dar dizimo por barganha e não com alegria e voluntariedade,portanto podemos e devemos provar do cuidado e benção de Deus pois é resultado de uma relação de pai e filho,Pai bondoso que cuida e filho que obedece e prova deste cuidado!O filho não tente ao pai pois sabe qual a vontade dele para sua vida!

    • Clebson mendonca dos Santos

      A esse respeito o Senhor Jesus já ensinou :
      Não acumuleis tesouro sobre a terra… Também diz: Não vos preocupeis com o que haveis de comer, beber ou vestir…pois os gentios é que se preocupam com estas coisas…

  1. Clebson mendonca dos Santos

    Pedro pôs o Senhor à prova… “se” é o Senhor… Mande-me ir sobre as águas….
    Andou sobre as águas com permissão divina..Mas depois começou a afundar…
    Então Jesus revela: por quê DUVIDASTE homem de pequena fé?
    E o levou devolta para o barco junto com os outros, de onde nunca deveria ter saído.. Pois a vontade de Jesus é que todos estivessem no barco…
    *Andou sobre as águas por PERMISSÃO ;
    *Mas foi levado devolta para o barco, VONTADE PERFEITA.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>