ESPECIAL – Dia das Mães

Por Gladir Cabral

Solta teu canto pelos quatro ventos
Há quem precise ouvir tua voz
Que teus poemas brotem quais rebentos
E que desatem velhos nós.

Deixa habitar teu coração
O que motiva a esperança
O que abençoa e faz andar
Sob este sol ou sobre o mar

Solta teu canto pelos quatro ventos
Há quem precise ouvir tua voz
Que teus poemas brotem quais rebentos
E que desatem velhos nós.

Risca no chão o teu sinal
Memorial de vida inteira
Salmo de paz, verso de amor,
Luz da manhã, cheiro de flor

Nota: Gladir Cabral explica esta canção aqui.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>