Ultimato completa hoje 48 anos de publicação ininterrupta.48_anos_imagem_blog

Nestes 48 anos de história, a revista Ultimato tem sido encontrada tanto no lixo como no aeroporto de Frankfurt, tanto no ônibus como na barbearia, tanto no ônibus como na delegacia. Acompanhe algumas histórias dos leitores.

No lixo
Meu primeiro contato com Ultimato foi na rua. Vi uma revista aberta e meio molhada no chão, próximo ao lixo que alguém colocara na calçada. Olhei para um lado e para o outro e, como não havia ninguém olhando, peguei a revista. Só percebi que era uma revista evangélica por causa da matéria de capa Quem é Deus?(janeiro de 1995). Por perceber o seu grande valor bíblico e cristão, tornei-me assinante. Ainda guardo a revista que achei na rua.
João Batista Gregório Júnior, Recife, PE
Janeiro de 1998

Na barbearia
Em um salão de barbeiro, olhando várias revistas e jornais velhos, encontrei uma que me chamou a atenção por trazer assuntos da atualidade em geral. Quanto mais eu a lia, mais queria ler, por nos ensinar a nos prevenir dos males do futuro. Gostei tanto que quero ser assinante da conceituada Ultimato.
Abmael Marcelo dos Santos, Guarujá, SP
Abril de 1987

No aeroporto
Fomos ao aeroporto de Frankfurt levar um amigo que ia tomar um avião para os Estados Unidos. Procuramos um carrinho para colocar as malas dele. Para nossa surpresa, encontramos no carrinho um exemplar de Ultimato sobre a Turquia (março de 1996). No alto estavam as iniciais HK e a data 14/06/96. Não podemos imaginar como a revista foi parar ali. Como uma hora antes tinha saído um avião para o Brasil, ficamos desconfiados de que talvez fosse de um brasileiro.
Raquel e Peter Robe, Frankfurt, Alemanha
Julho de 1997

No ônibus
No trajeto de ônibus de Nilópolis para a praça Mauá, ao meu lado, no ônibus, um jovem folheava uma revista Ultimato. Comecei a ficar intrigado. Daí a pouco ele cochilou e eu, na primeira oportunidade, pedi-lhe que me emprestasse a revista. Como estávamos quase no final da viagem, perguntei-lhe se eu poderia ficar pelo menos com o encarte. Foi assim que conheci e me tornei assinante da revista.
R.S. Bolivar, Rio de Janeiro, RJ
Julho de 1994

Na delegacia
Enquanto eu aguardava na delegacia de minha cidade para um depoimento, tomei conhecimento de Ultimato. Gostei demais e, perguntando a um escrivão, ele me disse que quase ninguém lia aquela revista na delegacia. Então pedi que lessem e, depois, lessem aos presos, pois poderiam encontrar nela a salvação. Por coincidência, o artigo de capa era O homem que foge…
Antonio Maestreldo, Salto, SP
Agosto de 1973

No hotel
Ao ler a revista Ultimato no Hotel Primus, em São Lourenço, MG, gostei muito dos artigos e resolvi fazer uma assinatura para colocá-la em meu consultório no Rio de Janeiro.
Dr. Mário A. Mendonça, Rio de Janeiro, RJ
Setembro de 1978

No avião
Parabéns pela revista Ultimato. Fui muito abençoado com a leitura do número de maio, que providencialmente li num vôo para Imperatriz, MA. Não pude conter as lágrimas, devido à categoria e unção de todos os artigos. Louvo a Deus por vocês, pois o ministério dos irmãos é e será uma grande bênção para tornar o nome do Senhor Jesus conhecido no Brasil e (por que não?) no mundo!
Nelson Ned, São Paulo, SP
Setembro de 1995

No berço
Quando chegou a nossas mãos o primeiro número de Ultimato, em janeiro de 1968, meu esposo, Gedeon Lidório, era pastor em Nanuque, MG. Nosso filho caçula, Ronaldo Lidório, que de vez em quando escreve para a revista, estava com um ano e dois meses. Foi amor à primeira vista. Gedeon lia, compartilhava, fazia propaganda nas igrejas. Ele colecionou todos os números até 1993, quando o Senhor o chamou. A matériaUltimato nasceu na cidade da loucura (março/abril de 2013) me trouxe à memória o versículo de Zacarias sobre o “dia dos humildes começos” (Zc 4.10). Como o nosso Deus gosta e abençoa o dia dos humildes começos! O evento mais importante da história — o nascimento do Rei dos reis — tem muito a ver com o dia dos humildes começos. Ultimato tem sido uma ferramenta para os cristãos, uma preciosa atalaia para os incautos e uma fiel testemunha nestes tempos difíceis. De leitura gostosa, seus artigos são profundos, mas fáceis de entender, tanto para eruditos, quanto para leigos. É uma voz profética.
Euza Lidório, Manaus, AM
Novembro de 2013

Na prisão
Sou grato a Deus por ter sido alimentado por mais de cinco anos com o conteúdo sólido e edificante de Ultimato. Além de me nutrir espiritualmente, ela me ajudou muito nos momentos de desânimo. Vocês foram o instrumento que Deus usou para que eu sobrevivesse no exílio, sem perder a esperança nas coisas melhores que estavam por vir. No dia 4 de setembro, conquistei a tão sonhada liberdade. E, como o leproso que voltou para agradecer a Jesus, aqui estou para fazer o mesmo. Repito as palavras do Senhor: “Estive preso, e vocês me visitaram” (Mt 25.36).
Natanael Gonzaga, São Bernardo do Campo, SP

Na igreja católica
Sou padre casado. Recebo Ultimato gratuitamente há muito tempo. Depois de lhes agradecer profundamente, se me permitem, quero lhes pedir com muito carinho que continuem insistindo na questão da espiritualidade. É isso que une todos os cristãos na mensagem de Jesus e na Trindade. As normas e as práticas dividem as igrejas, mas a espiritualidade as une. Construir o projeto de Jesus, de que “todos sejam um”, dá à igreja, a começar com a romana, o direito de falar em paz. Pois “só haverá paz no mundo quando houver paz entre as igrejas”. Depois de dois eventos graves de saúde, tive de alterar minha rotina e atividades. Por essa razão, a partir de agora, podem disponibilizar a revista para outra pessoa.
Dionísio Sfredo, Goiânia, GO
Setembro de 2015

No design
Sou designer e amante de logos, dos mais simples aos mais sofisticados. Porém, a logo da Editora Ultimato salta aos meus olhos! É a obra de Deus retratada em uma marca. Algo tão forte e tão simples como a mensagem de Deus por meio de Jesus, a mensagem da reconciliação. A missão de Jesus contada numa simples forma.
Francisco Avelardo, Itaperuçu, PR
Julho de 2014

No seminário
Eu estava no Seminário Presbiteriano de Belo Horizonte quando a conheci. Ela tinha apenas 13 anos. Fiquei impressionado com sua maturidade, equilíbrio e lucidez. Senti que ela era a companheira que eu precisava para a vida e para o ministério. Formei-me em 1985 e comecei meu ministério em fevereiro do ano seguinte e a levei comigo para a pequena cidade de Conceição de Ipanema, MG. Já são 26 anos de convivência bem-sucedida e harmoniosa. Às vezes nos divergimos em alguns assuntos, mas até nas divergências eu a respeito, pois ela é consistente em seus argumentos. Embora mais velho seis anos, não receio em reconhecer que ela amadureceu mais do que eu. Está mais bem formada e com aparência renovada. Ela também cresceu mais e exerce mais influência do que eu. Sem nenhuma dúvida, suas opiniões me influenciam cada vez mais. Acho que é por que ela absorve bem a sabedoria do que há de bom no meio evangélico e sabe escolher seus colaboradores. Sem dúvida, Ultimato tem sido uma boa companheira! Deus a abençoe e a faça prosperar ainda mais.
Pr. Públio Ronaldo Fonseca, Ipatinga, MG
Março de 2008

 

  1. Parabéns Ultimato!
    Tenho muita satisfação em também fazer parte deste mundo de informações que a Ultimato nos oferece.
    Que o Senho Jesus continue a iluminar a vida de cada um colaborador desta Revista que tem abençoado a muitos!

  2. Carlos Frederico Rice Geisler

    Meu pai foi representante comercial das editoras Concórdia e Sinodal aqui no Rio de Janeiro por cerca de três décadas. Entre 1996-1997, ele recebeu um exemplar da Revista Ultimato e, após leitura, ofereceu-me. Apaixonei-me pela revista logo no primeiro contato. Recebemos mais uma ou duas edições gratuitas e depois assinei a revista. Agradeço a Deus por esta revista e parabenizo-a pelos seus 48 anos! Obrigado, Ultimato!

  3. Sou leitor de Ultimato desde 1985, quando na adolescência tive o privilegio de ler um artigo do Robinson Cavalcante; que desfrute. Ultimato é inclusiva e abençoada. Parabéns!!!

  4. Parabéns pelo aniversário! Parabéns por todo o trabalho! Recentemente decidi presentear algumas amigas com edições da ULTIMATO e relembrei a primeira fez que li a revista… Foi no início da minha vida cristã, em 1986, em uma pequena congregação batista, no bairro Sans Souci (Eldorado do Sul/ RS). Desde então acompanho os lançamentos e fico feliz em ver que segue em excelente qualidade! Louvado seja Deus pois sempre sou edificada!

  5. Que demais! Ótima coletânea.
    Parabéns Ultimato!
    Eu conheci a revista pelo BiboTalk em algum dos programas que citaram. Assinei e deixo os exemplares na igreja para os demais aproveitarem.

  6. Antonia Leonora van der Meer

    Parabéns à Ultimato,
    Tenho lido todas as revistas de capa a capa, e fica difícil muitas vezes escolher que artigo comentar ou responder porque gosto de todos. Ultimamente me alegram muito os artigos sobre arte, música, jovens, além de todos os demais. Parabéns a toda a equipe, que Deus continue lhes guiando e capacitando.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *