BlogUlt_20_06_14_Cinema
A propósito do Dia do Cinema Brasileiro (comemorado ontem, 19/06), os cristãos que levam a sério a nossa cultura, podem se perguntar: para que serve o cinema? O quanto os filmes influenciam nossas vidas? O quanto os filmes são expressão do que vivemos? E mais especificamente: qual a relação entre cinema e fé cristã?

Claro, são apenas perguntas — talvez mais próprias para quem estuda o assunto. No entanto, mesmo que nem todos sejam impelidos a debruçarem-se em livros e conceitos, invariavelmente todos nós já assistimos algum filme produzido aqui: “Central do Brasil”, “Cidade de Deus”, “Tropa de Elite 1 e 2”, apenas para citar alguns mais recentes.

Para ajudarmos os leitores a pensarem sobre a contribuição cultural da “sétima arte” para nossas vidas e na relação com nossa fé, destacamos a seguir algumas frases e pensamentos baseados nos livros Cinema e Fé Cristã, de Brian Godawa, e Engolidos pela Cultura Pop (lançamento), de Steve Turner:

Cinema e Fé Cristã (Brian Godawa):

Grandes filmes são como sermões narrativos. Imaginar heróis simpáticos passando pelas suas experiências seguidamente tem mais impacto em minha vida do que um argumento abstrato rigorosamente pensado.
*
As artes (das quais os filmes fazem parte) são meios dados por Deus para expressarmos a nossa humanidade. A criação da arte, embora prejudicada ou imperfeita, reflete a criatividade e a beleza do nosso Criador. Rejeitar completamente qualquer uma das artes é rejeitar a imago Dei, isto é, a imagem de Deus na humanidade. Embora tenhamos caído, e nossa arte tenha sido afetada pela queda, continuamos sendo seres criados à imagem de Deus e, portanto, nossas criações continuam a refletir o nosso Criador.
*
Os filmes podem ser basicamente histórias, mas essas histórias são no final, no fundo, acima de tudo e quase sempre a respeito da redenção.
*
Os filmes ao mesmo tempo refletem e influenciam a sociedade.
*
Somos criaturas da história, criadas por um Deus contador de histórias, que criou os elementos de nossa realidade em momentos históricos. Não devemos ver nossa existência como uma série de eventos aleatórios, sem conexão entre si e sem propósito. Contar histórias nos ajuda a dar sentido à nossa vida por meio da analogia de uma trama cuidadosamente criada que reflete a soberania amorosa do Deus da Bíblia.

 

Engolidos pela Cultura Pop (Steve Turner):

Uma obra cinematográfica oferece mais referências à cultura geral do que qualquer outra forma de arte.
*
A arte cinematográfica constitui um importante espaço cultural onde as filosofias de vida são testadas, o comportamento é exercitado, os valores são questionados, a injustiça é exposta, os medos são confrontados, a história é revisitada e possíveis futuros são imaginados.
*
Às vezes a arte feita por não cristãos mostrando o quanto a vida é fútil e sem sentido nos impulsiona no sentido oposto, porque nos faz pensar: “Não! Isso não pode ser verdade. Merecemos muito mais do que isso”.
*
Uma história sensacional sobre um não cristão provavelmente contém verdades mais atrativas do que uma narrativa entediante sobre um santo. O diretor que é cristão precisa confiar que o poder da verdade surgirá em um roteiro fiel em tudo o que aborda.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>