Por Elben César

Mamãe e papai, embora servos do Senhor, tinham algumas desavenças. Lembro-me de uma briga feia entre os dois, quando ainda éramos crianças. A discórdia foi tão grande que papai pegou a mala e se dirigiu para a estação ferroviária. Parece-me que ele pretendia tomar o trem para o Rio. Ficamos horrorizados, olhando um para o outro, em silêncio total.

Aparentemente, era a desintegração do lar — o que ninguém queria, nem suportaria. Não sei quanto tempo passou. O fato é que papai não tomou o trem e voltou para casa com aquela mala e um pequeno embrulho. Lá estavam cinco laços de coco — aquele doce de coco em forma de pétalas: um para cada um dos filhos, um para mamãe e outro para ele!

Se o pão simboliza o corpo de Jesus e o vinho o seu precioso sangue, o laço de coco, para mim, significa a vitória do amor sobre o ódio, do bom senso sobre a ação intempestiva, do Espírito sobre a carne. Na minha memória, “laços de coco” têm gosto de reconciliação.

Conto esta história a propósito da nossa alegria em lançar o livro Amar Outra Vez, que incentiva a amar novamente o mesmo cônjuge.

  1. Grato pela mensagem. Esta é a área do ministério pastoral onde mais desafios existem, justamente a família, a primeira instituição divina para nossa raça humana, que dá as melhores ilustrações para compreenderemos a vida cristã. Aguardo o livro. Ivo Augusto Seitz, I B Floresta, Porto Alegre, RS.

  2. fui casada 38 anos, porque com Jesus aprendi amar oura vez. muitas vezes, na impetuosidade do ser humano(igual pedro e joão),surgiam atritod. pedia à Jesus que me desse amor pro meu marido, e ele dava com abundância.fomos companheiros até o fim, pois faz 2 anos que ele foi pro andar de cima, demos exemplo para minhas três filhas e genros, que sem família,ninguem é feliz.que Deus os abençoe.

  3. Estava atrás da receita do laço de coco do meu tempo de criança.
    Que lindo encontrar esta receita…rsrs
    Não encontrei nada sobre o laço de coco gostoso daquela época, mas acabei encontrando não só o laço mas também o Amor..
    Que coisa linda.
    Aquele laço de coco era muito gostoso mesmo…
    E este escrito aqui de reconciliação com o referido doce me trouxe grandes lembranças… lindas também…
    O dinheiro pouco mas dando para comprar: “Seu Manel, eu quero um laço de côco…”

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>