Essa é a questão que está sendo discutida no fórum do site Ultimato desde setembro. A diversidade de respostas é visível, mas a maioria delas se concentrou em algumas temáticas interessantes.

Alguns criticaram a forma como a igreja prega o Evangelho. Segundo os internautas, muitas igrejas se focam em manter suas instituições, tradições, e não se abrem a um diálogo franco e livre de preconceitos. Não é falado ao jovem o que a Bíblia tem a dizer a respeito da sexualidade e das tentações que o mundo oferece à juventude.

Um ponto lembrado foi o mau exemplo dado pelos líderes religiosos atuais. A igreja que “prega e não vive”. Pastores e obreiros que vivem uma vida dissoluta, mas que no púlpito se mostram em perfeita santidade.

Há aqueles que questionaram as muitas “verdades” que estão aparecendo na igreja. Segundo esses internautas, cada um está criando a sua verdade. Não somos nós que seguimos o evangelho, ele é que tem que seguir os nossos próprios interesses. Assim, nos esquecemos que há uma cruz diária que necessita ser carregada.

Ainda outros justificam que o jovem age dessa forma pela falta de compromisso com Deus. A juventude não se preocupa com uma vida reta e de santidade perante o Senhor, e isso nos desliga dos valores que ele estabeleceu para nós.

Além disso existem os que discordam que o jovem tem vivido como o resto do mundo. Acreditam que há ainda muitos que têm vivido em santidade (a palavra santidade, “ágios” na linguagem grega, significa separado), dando um bom testemunho perante os não-cristãos.

Ainda dá tempo. Dê também a sua opinião!

Enviado por Terezinha Aguiar

  1. eu creio que é necessario deixar transparecer o quanto você ama a Deus e se relaciona com ele sem mentira mais em verdade a cada dia. Nossos jovens querem seguir os bons passos .os que vivem como se fossem do mundo estão se enganando ,mais os que vivem ,neste mundo temporáriamente sabe que estão aguardando a volta do seu mestre Jesus.
    a questão da santidade não deva ser imposta ,mais vivida ,deve deixar transparecer sem querer ser mais do que ninguém.
    eu diria que é melhor chamar nossos jovens para uma busca do Senhor ,é preciso chama-los a despertar o dom que há neles.
    não é facil ,ser um jovem mais pra que tornar tudo tão dificil com criticas…é afasta-los do sentido de uma vida com Deus em santidade.

  2. A paz a todos! sinceramente eu vejo um Evangelho fraco sendo ensinado nas igrejas, com o perdão da junção dessas duas palavras. É como se o pastor pregasse algo e quem o ouve retém a mensagem de forma facultativa, absorvo apenas o que me convém; é como se o pastor não tivesse mais autoridade, concedida pelo Espírito Santo, para exortar e repreender quando necessário, aliás ele morre de medo de fazê-lo; é como se os pais vivessem esse “Evangelho facultativo” apenas na igreja, lugar onde, segundo várias pessoas acreditam é o único onde a religião deve estar presente; é como se as crianças crescessem sem saber manusear a Bíblia, perceber sua importância, terem reverência, etc, etc; é como se… tudo isso torna-se um ciclo e resulta no que temos visto hoje não são só os jovens, a Igreja tem vivido como se mundo fosse… triste realidade, que Deus tenha misericórdia de nós, que possamos fazer a diferença, somos sal da terra e luz do mundo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>