Essa é a questão que está sendo discutida no fórum do site Ultimato desde setembro. A diversidade de respostas é visível, mas a maioria delas se concentrou em algumas temáticas interessantes.

Alguns criticaram a forma como a igreja prega o Evangelho. Segundo os internautas, muitas igrejas se focam em manter suas instituições, tradições, e não se abrem a um diálogo franco e livre de preconceitos. Não é falado ao jovem o que a Bíblia tem a dizer a respeito da sexualidade e das tentações que o mundo oferece à juventude.

Um ponto lembrado foi o mau exemplo dado pelos líderes religiosos atuais. A igreja que “prega e não vive”. Pastores e obreiros que vivem uma vida dissoluta, mas que no púlpito se mostram em perfeita santidade.

Há aqueles que questionaram as muitas “verdades” que estão aparecendo na igreja. Segundo esses internautas, cada um está criando a sua verdade. Não somos nós que seguimos o evangelho, ele é que tem que seguir os nossos próprios interesses. Assim, nos esquecemos que há uma cruz diária que necessita ser carregada.

Ainda outros justificam que o jovem age dessa forma pela falta de compromisso com Deus. A juventude não se preocupa com uma vida reta e de santidade perante o Senhor, e isso nos desliga dos valores que ele estabeleceu para nós.

Além disso existem os que discordam que o jovem tem vivido como o resto do mundo. Acreditam que há ainda muitos que têm vivido em santidade (a palavra santidade, “ágios” na linguagem grega, significa separado), dando um bom testemunho perante os não-cristãos.

Ainda dá tempo. Dê também a sua opinião!

Enviado por Terezinha Aguiar