Caros amigos, 

Hoje vou fazer uso da minha mineirice para contar a história de um trem. Na verdade, não é como um "trem" de mineiro; é um trem de verdade, um trem de ferro. Seus trilhos estão deitados num reino muito, muito distante. 

Da janela desse trem um viajante vê uma casinha branca, um Capitólio ao longe, gente elegante. À medida que vai andando, a paisagem muda… Agora o viajante vê mulheres pobres na janela, crianças barrigudas na rua, homens e seus cigarros de fumo. Esse trem traz açucar e leva carvão. É um trem preto e branco. 

Esta é a história que vejo todos os dias. O trem que passa pelo FMI, pelo Banco Mundial, pelo Capitólio e pela Casa Branca vem cheio de açúcar pela manhã: gente elegante, branca, de raça “pura”, trabalha nesses lugares. Difícil ver um negro nesse trem, quase nunca vejo. Quando vejo, não são os elegantes, os de ternos brilhantes.

Quando a noite chega, o trem está cheio de gente negra. Mas a direção que ele segue é outra: está indo para os subúrbios, para onde gente negra vive.

Obama pode ter chegado ao poder, mas isso não mudou a história desse trem. Emprego branco, emprego preto; cidade branca e rica, cidade preta e pobre. Washington D.C está entre as dez cidades mais violentas do mundo, mas posso lhe assegurar que isso é na cidade preta, para onde o trem leva seus carvões à noite.

  1. Juraci Peixoto do Nascimento

    Tenho lido e ouvido muito sobre o problema do preconceito, da desigualdade e outras inúmeras mazelas sociais. Como denúncias, é válida a abordagem porque ativa a reflexão sobre o legado cultural recebido por cada povo. Como uma luta em favor dos oprimidos, também tem a sua razão porque Jesus Cristo fez o mesmo. O problema está na natureza humana que deve ser levada em conta nessa luta pois a história testemunha que o ser humano sempre esteve e continua lutando por aquilo que acha melhor, porém, cada vez que um determinado grupo tem a supremacia sobre o outro, impõe as suas idéias e em consequência, o grupo dominado se sente oprimido. Isso ocorre com negro, branco, amarelo ou a cor que se nomeie. É preciso ter cuidado na busca dessa igualdade. Um dos meios usados no Brasil para combater tais problemas são os pacotes de leis cujo resultado percebe-se que o desfecho é outro extremo. No caso do preconceito racial, parece que ser branco é sinônimo de opressor. O que se deve buscar é a extinção dessas mazelas de tal maneira que haja respeito e amor de uns para com os outros e isso só se consegue com Jesus através de uma conversão genuína que remove todas as mazelas sociais vivendo sob a orientação do Espírito Santo. Essa é a única solução, porém, são poucos que aceitam Jesus, esta constatação nos deixa claro que tais problemas nunca terão solução no sentido de saná-los, não em sua totalidade, mesmo em sua maior parte, porém, serve de exortação ao crente que tem uma responsabilidade muito grande de evangelizar, vivendo a vida cristã de tal maneira que a sua presença incomode e iniba tais valores e quando opinar deve sem receio algum deixar claro que Jesus é a solução, nunca omitir esse caminho, mesmo sabendo da rejeição porque também as soluções advindas do pensamento e do estudo humano procura consertar de um lado e cria muitos outros problemas do outro, haja vista as leis que procura amparar a criança e o adolescente, as que procura amparar o homem do campo, o estatuto do idoso, alei Maria da Penha; nenhuma melhorou nada, mas os poucos que se converteram realmente, baniu da sua vida todas essas coisas. Lutemos contra tudo isso mas nunca esqueçamos de enfatizar com toda convicção que só Jesus é a solução.

    Pr. Juraci Peixoto do Nascimento

  2. Juraci Peixoto do Nascimento

    Se entendi bem a frase, nunca vi e nem percebi moderação em relação a quem se posiciona com Cristo. A reação contrária é imediata, haja vista, João Batista, Paulo e os demais apóstolos de Jesus. A ênfase aos princípios bíblicos nunca terá reação moderada, a não ser num coração quebrantado disposto a ação do Espírito Santo. O mundo jaz no malígno, isso é a causa de todas essas mazelas. Necessitam de Jesus, tanto oprimidos quanto opressores, ambos reagem quando se enfatiza a solução em Cristo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>