Ouço um clamor estranho. Clamor que geme pelo corretor abatido, pelo banqueiro aflito, pela desgraça tamanha que mal consigo imaginá-la. Atordoado e sem saber se por solidariedade ou medo, me apiedo de Wall Street, da Bovespa e dos "pálidos economistas que nos pedem calma". Em meio ao pânico, leio Servos Entre os Pobres.

Com a palavra, Viv Grigg.

Certo dia subi em um monte de trinta metros de altura de lixo e restos de comida. Vi os barracos onde moravam as 10 mil pessoas mais pobres de Manila e as figuras magras que vasculhavam papéis, garrafas e latas para serem vendidas e recicladas.
O povo estava trabalhando, feliz com aquilo. Notei como crianças pequenas, mulheres idosas e trabalhadores relativamente sadios andavam no monte, depois carregavam as coisas em sacos, sobre os ombros, até suas casas. Ali as coisas eram separadas e classificadas. […] As crianças estenderam as mãos alegremente para me tocar, mas comecei a chorar. Com ira, clamei: "Por que o Senhor não faz alguma coisa?”
O Senhor não foi tardio em responder […]: “Eu fiz alguma coisa. Há dois mil anos vivenciei a pobreza […]. Hoje estou chamando outros filhos e filhas para participarem da pobreza dos carentes, a fim de trazer o meu reino até eles.” Jesus iria morar hoje onde há miséria. Ali, o Príncipe iria se tornar um dos indigentes:
Pois vocês conhecem a graça. de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez pobre por amor de vocês, para que por meio de sua pobreza vocês se tornassem ricos. (2 Co 8.9)
Ali ele iria pregar, curar e trazer justiça. Jó descreveu esses pobres:
A verdade é que ninguém dá a mão ao homem arruinado, quando este, em sua aflição, grita por socorro. Não é certo que chorei por causa dos que passavam dificuldade? E que a minha alma se entristeceu por causa dos pobres? (Jó 30.24-25)

  1. Excelente desafio esse que o Viv nos faz. Nos chama a voltar desse mundo de fantasia, ganância e especulação para a vida concreta de muitos necessitados que sofrem. Só espero que esses pequeninos não venham a sofrer ainda mais devido à insensatez desses que apostam com o dinheiro e a vida de muitos.
    Obrigado pela reflexão e breve texto.

  2. Sinceramente, de volta ao primeiro amor, de volta ao cristianismo puro e simples onde Cristo e o centro , onde sua vontade ainda impera…excelente artigo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *