O apóstolo Pedro, já velho, se lembra daquela noite, no cenáculo, tão marcante em sua vida: “Nunca me lavarás os pés!”. Pobre Pedro! Ele nunca vivera, e jamais viveria, uma celebração da Páscoa como aquela.

Daqueles pés que tu lavaste,
O mais imundo era o meu!
Dos corações que confortaste,
Um deles quase se escondeu.

Essa bacia que tomaste!
Quem poderia compreender?
E, de joelhos, te humilhaste;
Súbito exemplo a oferecer.

Não o entenderás agora;
Só depois que eu me for;
Não o esquecerás lá fora,
Será este o teu louvor.

Aqueles pés se recusaram [a]
Da humilhação participar.
Mas sabes bem por onde andaram:
Água e toalha, a trabalhar.

Quantas estradas palmilharam,
Teu evangelho a anunciar!
Mas sabes bem, não se cansaram
De teu amor testemunhar.

  1. Irani Antunes da Silva

    Bom dia Rubens

    Caso tenha a partitura para piano ou somente melodia, da música Lava-Pés e desejo compartilhar, gostaria de receber.

    Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>